Time chinês contrata Alex Teixeira do Shakhtar, em transação recorde de janela

O Shakhtar Donetsk confirmou oficialmente nesta sexta-feira a venda do meia Alex Teixeira ao Jiangsu Suning, da China, por 50 milhões de euros. O valor é recorde nesta janela de transferências do futebol internacional e superou a outra fortuna que o Guangzhou Evergrande, também do futebol chinês, pagou para levar o colombiano Jackson Martínez, que deixou o Atlético de Madrid por 42 milhões de euros.

Com 223 partidas e 89 gols pela equipe ucraniana, Alex Teixeira também era cobiçado pelo Liverpool, mas acabou fechando acordo para atuar em um centro bem menos badalado do futebol mundial. O meio-campista estava no Shakhtar desde o final de 2009, e de lá para cá se tornou um ídolo do clube ao conquistar cinco títulos do Campeonato Ucraniano, três da Copa da Ucrânia e outros cinco da Supercopa do país.

“O Shakhtar agradece ao Alex pelo tempo que passou com a equipe e lhe deseja sucesso em seu novo clube”, ressaltou o Shakhtar ao oficializar a saída do meio-campista, que antes de se transferir para o futebol ucraniano defendia o Vasco no Brasil.

Ao comentar a sua saída do Shakhtar, o jogador ressaltou que “tudo aconteceu muito rápido, literalmente num abrir e fechar de olhos”. “Eu estava no aeroporto para voar para me juntar ao Shakhtar quando recebo um telefonema do meu agente. Ele me disse então que o Shakhtar havia recebido uma oferta de 50 milhões pelo meu passe. Eu imediatamente me perguntei se isso seria bom para mim, para a minha família, para o clube, e tomei então a decisão apropriada. Na verdade, eu não precisava sequer vir agora à Espanha, mas queria rever as pessoas que eu amo de verdade e que me amam a mim. Vim me despedir como deve ser”, afirmou o atleta, em entrevista ao site oficial do clube.

‘PESO NA ALMA’ – Curiosamente, o próprio Alex Teixeira reconhece que preferia ter se transferido para um clube de primeira linha do futebol europeu, principalmente para ter mais chances de defender a seleção brasileira, mas o jogador enfatizou que acabou não recebendo nenhuma proposta concreta de um clube do Velho Continente.

“Eu gostaria muito de poder jogar um dia na liga inglesa. Mas, até agora, todos os meus pensamentos estiveram sempre e apenas com o Shakhtar. Como eu já disse, tudo acontece tão rápido que nem sequer tive tempo ainda de tomar consciência de tudo”, afirmou o meio-campista, para depois completar: “Apesar de tudo ter acontecido à velocidade da luz, não posso dizer que tenha sido muito fácil. A única coisa que exigiam de mim era uma resposta rápida. Mas é evidente que é difícil partir agora para longe das pessoas com quem eu trabalhei tantos anos, que me ajudaram a crescer e com quem fiz amizade. Continuo com um peso na alma”, ressaltou.

Alex Teixeira ainda lamentou o fato de as sondagens e possíveis ofertas de clubes da Europa não terem avançado neste período na janela de transferências. “Todo mundo sempre soube que eu queria ficar na Europa e ir para um clube do Campeonato Inglês. Mas, infelizmente, todas as propostas que surgiram deles eram meio ‘no ar’, nunca viveram com proposta em concreto. Agora recebi uma proposta séria da China. É claro que vou para lá. Nesta fase, fiquei um pouco mais longe da seleção brasileira. Mas vamos ver o que vai acontecer no futuro!”, afirmou.

Para completar, o meio-campista fez um agradecimento aos torcedores do Shakhtar, que sempre acreditaram no sucesso do seu futebol na Ucrânia e na própria Europa. “O que eu mais quero do fundo do coração é agradecer aos torcedores e amigos do Shakhtar por todas as coisas que eles vivemos juntos. E quando eu estava no auge, nestes últimos tempos, e quando ele estava lá em baixo, quando cheguei ao clube. Quando nada dava certo comigo, eles continuaram me apoiando, me dando força. Fiquem sabendo que estarão sempre no meu coração. Vou lembrar sempre do nosso estádio lotado! Acreditem em mim, eu vou sentir saudades dos torcedores do Shakhtar”, ressaltou.

Antes de contratar Alex Teixeira, o Jiangsu Suning também tirou do futebol europeu outro meio-campista brasileiro de destaque nos últimos dias. Trata-se de Ramires, que foi cedido pelo Chelsea por cerca de 25 milhões de euros. Ao justificar a sua saída, o jogador enfatizou que a proposta feita pelos chineses era “irrecusável”.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima