Trump usa termo vulgar para xingar Hillary Clinton por derrota em 2008

O pré-candidato republicano à Presidência dos EUA Donald Trump usou uma gíria vulgar para fazer novas críticas à sua principal adversária democrata, Hillary Clinton, em discurso na noite desta segunda-feira (21).

Ao referir-se à derrota da ex-senadora nas primárias de 2008 para o atual presidente, Barack Obama, Trump usou o termo “schlonged”, um neologismo da gíria em iídiche “schlong”, que significa pênis grande.

O termo mais próximo em português seria “enrabada”. “Ela ia derrotar Obama. Ia derrotá-lo, era favorita, e foi enrabada. Ela perdeu, perdeu”, disse, em discurso em Grand Rapids, no Estado americano do Michigan.

Além do xingamento, ele zombou da demora de Hillary de voltar do banheiro no debate democrata de domingo (20). Devido à distância entre o sanitário e o estúdio, a candidata só entrou quando o programa já estava no ar.

“Achei que ela tivesse desistido. Aonde ela foi? Aonde a Hillary foi? Eles tiveram de começar o debate sem ela. Fase dois. Eu sei onde ela foi. É nojento. Não quero falar sobre isso”, afirmou o magnata.

No comício, o magnata foi interrompido diversas vezes por manifestantes que foram retirados pelos seguranças. Para ele, os integrantes do protesto estavam drogados e foram fracos ao não resistir à pressão dos guarda-costas.

MACHISMO

Esta não foi a primeira declaração vinda de Trump interpretada como machista. Em agosto, o empresário foi criticado ao dizer no Twitter que a jornalista Megyn Kelly, da Fox News, tinha um problema no ciclo menstrual devido à atuação considerada agressiva pelo candidato durante um debate republicano.

As declarações contra a democrata foram feitas após Hillary subir o tom contra o adversário republicano. No último debate, ela afirmou que a proposta dele de barrar a entrada dos muçulmanos aumenta a insegurança do país.

“Ele está se tornando o melhor recrutador do Estado Islâmico. Estão mostrando vídeos de Donald Trump insultando o islã e os muçulmanos para recrutar mais jihadistas radicais”, afirmou a ex-senadora.

A mudança de tom aconteceu nas últimas semanas, depois que Trump manteve a liderança nas pesquisas de intenção de voto para a corrida republicana apesar da série de frases polêmicas contra imigrantes e mulheres.

No dia 10, dias após a declaração sobre os muçulmanos, ela cortou uma brincadeira sobre o magnata feita pelo apresentador Seth Meyers, do programa “Late Show”. “Olha, preciso dizer uma coisa. Não acho mais engraçado. Ele foi longe demais.”

Três meses atrás, a postura era outra. Hillary embarcou num longo esquete do programa “Saturday Night Live” em que simulava falar com Trump ao telefone e riu quando o imitador do ex-apresentador de tevê perguntou “muro ou muro gigante?” como política de imigração.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima