‘Virei um saco de pancadas da Fifa’, diz Blatter

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Depois de ser banido por oito anos pelo Comitê de Ética da Fifa nesta segunda-feira (21), Joseph Blatter comentou a punição sofrida por ele e Michel Platini. Em entrevista coletiva em Zurique, na Suíça, o cartola disse ser um “saco de pancadas da Fifa” e negou que haja motivos para o banimento.

“Sinto muito. Eu sinto muito que eu ainda estou em algum lugar sendo tratado como um saco de pancadas. Lamento que como presidente da Fifa eu sou um saco de pancadas. Sinto muito pelo futebol. Lamento para os mais de 400 membros da Fifa. Me desculpe”, afirmou o dirigente suíço.

Blatter foi banido em razão do pagamento de 1,8 milhão de euros (R$ 8,3 milhões) em 2011 a Platini. O ex-jogador francês e presidente afastado da UEFA também recebeu a mesma pena e não poderá concorrer a eleição da Fifa em fevereiro. Os dois dirigentes afirmam que o pagamento do valor ocorreu como remuneração de um trabalho de Platini prestado à Fifa em 1998. Não há, porém, contrato escrito entre a entidade e o dirigente francês.

Além da suspensão, Platini deve pagar ainda uma multa de 74 mil euros (R$ 320 mil), maior que a multa atribuída a Blatter, fixada em 46.295 euros (R$ 200 mil).

O Comitê considerou os dois dirigentes, que já estavam suspensos por 90 dias desde outubro, culpados de “conflito de interesses” e de “gestão desleal”.

“É vergonhoso que o Comitê vá contra às evidências apresentadas”, afirmou Blatter.

“Você pode me identificar como um otimista. Pensei que tinha convencido o Comitê sobre a situação. Houve o pagamento entre o presidente da Fifa e Michel Platini de um contrato em andamento que nunca foi terminado. Pensei que isso estava claro. Foi um chamado acordo de cavalheiros. Foi feito em 1998 após o Mundial na França, quando Platini se aproximou de mim e disse que gostaria de trabalhar para a Fifa. Ele disse: ‘sou um homem muito caro’. Eu disse que ok, mas que não poderia pagar ele naquele momento, que pagaríamos depois. O que me espanta é que eles [o Comitê de Ética da Fifa] neguem a existência desse acordo”, relatou Blatter.

Na entrevista, o suíço culpou os Estados Unidos pelos escândalos. “Se Estados Unidos fosse sede da Copa de 2022, a gente não estaria aqui. Não acho que o Comitê de Ética tenha conexões com EUA. Afinal, eles não são bons em comunicação, como vimos”, disse o dirigente, afirmando que os envolvidos em esquema de corrupção são dirigentes da Concacaf e Conmebol.

“Todas as pessoas punidas pelas autoridades americanas são da América do Norte e Sul, da Concacaf e Conmebol. Foram atividades ligadas a suas confederações, ligadas aos direitos de transmissões locais”, completou.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima