Mundo

Update Coronavírus: Reino Unido reabre bares; África do Sul tem 10 mil casos/dia

Após o setor de hospitalidade da Inglaterra, incluindo bares e restaurantes, ter reaberto pela primeira vez em mais de três meses, o secretário de Saúde do país, Matt Hancock, afirmou neste domingo que a grande maioria das pessoas se portou da forma “certa”. A avaliação é que a reabertura dos bares no sábado não sobrecarregou os serviços de emergência, como se temia durante os preparativos para a flexibilização do bloqueio.

De modo geral, os londrinos pareceram respeitar as regras, ainda que em alguns locais a quantidade de pessoas dentro e fora dos bares colocasse em dúvida a manutenção do distanciamento social. Apesar do afrouxamento das regras ter sido bem-vindo por boa parte da população, há temores de que o governo britânico esteja excessivamente apressado em implementar as mudanças. O Reino Unido é o terceiro país com o maior número de mortos por covid-19, 44.283, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, atrás apenas do Brasil e dos Estados Unidos.

A África do Sul superou pela primeira vez a marca de 10 mil novos casos em um único dia. Com isso, o número total de casos chegou a 187.977, de longe o maior em todo o continente africano, que soma aproximadamente 450 mil infectados. As infecções na África do Sul continuam subindo na província de Gauteng, onde está localizada a cidade de Johannesburgo e a capital, Pretoria. Autoridades de saúde locais já reportaram preocupação com a alta ocupação dos leitos nos hospitais públicos.

A Índia reportou novo recorde de contaminações nas últimas 24 horas, 24.850 confirmadas, elevando o número total de casos para 673.165. A Índia é o quarto país com maior número de contaminações por coronavírus, atrás dos Estados Unidos, Brasil e Rússia. O número de vítimas fatais chegou a 19.268. O Conselho Indiano de Pesquisa Médica informou na semana passada que estabeleceu prazo até 15 de agosto – dia da independência da Índia – para desenvolver uma vacina contra o coronavírus, pedindo a pesquisadores que inscrevam voluntários para ensaios até 7 de julho. A cientista chefe da Organização Mundial de Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, disse em entrevista neste sábado ao jornal indiano The Wire que alguns resultados da fase 1 da pesquisa estariam disponíveis apenas em agosto, “se tudo correr conforme o planejado”.

Na Austrália, o Estado de Victoria, um dos mais afetados pela covid-19, registrou 74 novos casos no domingo, após anunciar no sábado o número recorde de 108 novas infecções. O salto levou o primeiro-ministro estadual Daniel Andrews fechar nove blocos de moradias públicas no centro da cidade, onde vivem 3 mil pessoas e 27 foram infectadas. Andrews disse que os residentes terão seu aluguel dispensado pelas próximas duas semanas e receberão pagamentos pontuais de 750 a 1.500 dólares australianos (US$ 520 a US$ 1.040). O governo também deve providenciar a entrega de alimentos e suprimentos médicos para os moradores.

A Coreia do Sul registrou mais de 60 novos casos de covid-19 em 24 horas pelo terceiro dia consecutivo. O número total de casos no país, assim, chegou a 13.091, com 283 mortes. O Centro de Controle e Prevenção de doenças do país informou que dos novos casos, 43 eram pacientes infectados localmente os restantes referem-se a pessoas que chegaram de viagens internacionais.

Na China, oito novos casos de covid-19 foram confirmados, dos quais dois na capital Pequim – foi o sétimo dia consecutivo de aumento de um dígito. As autoridades confirmaram 334 infecções durante um surto detectado há cerca de três semanas na cidade, o maior do país desde março. Nenhuma morte foi relatada.

Nos Estados Unidos, o Estado do Texas registrou seu maior aumento diário de casos de coronavírus, 8.258. Em grande parte do Estado, o uso de máscaras passou a ser obrigatório a partir de sexta-feira, com multa de US$ 250 para quem não cumprir a determinação. No sábado, o número total de infectados pelo coronavírus no Texas chegou a 191.790, segundo autoridades de saúde locais. Também foram reportadas 33 mortes. O país registrou menos de 50 mil novos casos no sábado – precisamente, 45.300 casos -, a primeira vez nos últimos quatro dias, quando o número diário de infectados ultrapassou 50 mil, segundo a Johns Hopkins. O número mais baixo pode estar relacionado à redução de relatórios no feriado nacional do Dia da Independência (4 de julho). Mais de 2,839 milhões de norte-americanos já contraíram covid-19 e 129.676 pessoas morreram no país em virtude da doença.

Neste domingo, o papa Francisco elogiou o pedido do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) de cessar-fogo global e imediato em regiões de conflito armado, por ao menos 90 dias, para garantir paz e segurança ao fornecimento de assistência humanitária, incluindo retirada de doentes por covid-19. Na missa realizada na Praça São Pedro, Francisco disse ter esperança que a resolução do Conselho poderia ser um “corajoso primeiro passo para o futuro da paz. Fonte: Associated Press.

Clique para comentar
Para cima