Opinião

A próxima pandemia vem aí

* Judinei Vanzeto

É a pandemia da falta d’água causada pelos vírus da ganância e do individualismo. Pois não precisa ser especialista para falar sobre a falta d’água que a humanidade vem enfrentando. Basta observar os últimos acontecimentos climáticos durante o início do novo milênio.

Nisso surgem algumas perguntas, entre elas: o que fizemos com as nascentes d’água e as matas ciliares dos rios? As águas estão sumindo e também o que resta encontra-se em estágio avançado de contaminação. Dá a impressão que a próxima guerra não será por petróleo, mas por uma gota d’água.

Muitos proprietários rurais estão perfurando poços artesianos com centenas de metros profundidade e não têm encontrado água. Outros estão comprando cúbicos d’água para encherem seus reservatórios de uso doméstico. Sem água para uso doméstico e para os animais. Sem chuva para germinar as sementes lançadas nos sulcos da terra.

A água é um recurso natural e essencial para a existência e sobrevivência das diferentes formas de vida presentes no planeta Terra. Enquanto composição química, a água é formada pela junção de dois átomos de hidrogênio (H) e um átomo de oxigênio (O). Assim, a fórmula da molécula de água é H2O.

A água é um recurso natural, que mantém a temperatura estável no planeta. A água potável, por sua vez, própria para consumo, apresenta-se inodora, insípida, incolor e livre de microrganismos prejudiciais à saúde.

O planeta Terra é coberto por cerca de 70% de água. Não obstante, 97,5% dessa quantidade é de água salgada, ou seja, os mares e os oceanos. A cognominada água doce representa apenas 2,5% e encontra-se dividida entre as seguintes formas: 68,9% em geleiras e calotas polares, 29,9% em águas subterrâneas, 0,3% em rios e lagos e 0,9% em outros locais, como pântanos e umidade do solo.

O Brasil, por exemplo, é possuidor da maior reserva de água doce do planeta, com cerca de 13,7% da água doce. O rio Amazonas é o maior em volume de água do mundo. Também o Aquífero Guarani é a maior reserva de água doce subterrânea do mundo.

O calor irradiado pela luz solar aquece a água dos oceanos, mares, rios e lagos, transformando-a em vapor de água, que sobe para a atmosfera, provocando as chuvas. Porém, com os desmatamentos vem sendo quebrando o ciclo da água, comprometendo as chuvas nos continentes.

A água é um bem natural de suma importância para a vida no planeta. Ela é a responsável pela hidratação dos seres vivos, pelo equilíbrio da biodiversidade e pelo desenvolvimento das atividades dos seres humanos.

A água é extremadamente importante para a agricultura e também usada nas indústrias. A água faz parte de diferentes produtos e tem outras tantas utilidades. A água faz parte, obviamente, do dia a dia de todas as pessoas. Tanto para beber, preparar as refeições, a higiene pessoal e doméstica. Além disso, para a pesca, o transporte, a produção de energia elétrica, a irrigação etc.

Por outro lado, o tema da água é de grande preocupação do Papa Francisco, de cientistas e ambientalistas, em prol das gerações futuras. Os ecossistemas aquáticos estão sendo prejudicados pela poluição, pelo lançamento de substâncias tóxicas nos lençóis freáticos, pelas substâncias não biodegradáveis e outras tantas causas, que somadas, provocam danos irreversíveis à vida no planeta.

Outro problema sério é o desperdício da água nos processos industriais e domésticos. Escovar os dentes, por exemplo, com a torneira aberta ou demorar no banho, consiste num grande desperdício de água. Enfim, a falta d’água é a próxima pandemia que vem aí e suas causas são bem conhecidas: a ganância e o individualismo.

Judinei Vanzeto é jornalista, técnico em Contabilidade, licenciado em Filosofia, bacharel em Teologia, e com especialização em Gestão de Instituição de Ensino e especialização em Jornalismo Digital. Além disso, é diretor administrativo da Rádio Vicente Pallotti e pároco da Paróquia São Roque de Coronel Vivida (PR)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima