Opinião

Corrupção institucionalizada

Por Judinei Vanzeto

Etimologicamente falando a palavra “corrupção” provém do termo latino corruptione, na ligação das palavras cor (coração) e rupta (quebra, rompimento). A corrupção tem suas diferentes facetas.

Na Cartilha de Orientação Política para as eleições 2020, publicada pela CNBB Sul 2 (Igreja Católica do Paraná), lemos sobre a voz da Igreja diante da corrupção. Traz uma afirmação do Papa Francisco, na Bula de promulgação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, n.19, abril de 2015:

“Esta praga apodrecida da sociedade é um pecado grave que brada aos céus porque mina as próprias bases da vida pessoal e social. A corrupção impede de olhar para o futuro com esperança porque, com a sua prepotência e avidez, destrói os projetos dos fracos e esmaga os mais pobres. É um mal que se esconde nos gestos diários para se estender depois aos escândalos públicos. A corrupção é uma teimosia no pecado que pretende substituir Deus com a ilusão do dinheiro, como forma de poder”.

Em outras palavras o Pontífice aponta que o cristão e a corrupção são como água e óleo, não se misturam. Além disso, a corrupção não é uma atitude meramente do político, pois se um cristão for conveniente em aceitar favores de candidatos, ou seja, vender o seu voto, também está sendo corrupto quanto a ele.

Ao comprar ou vender o voto a pessoa está cometendo um crime eleitoral. Para tal crime o Código Eleitoral determina até quatro anos de prisão, não somente para candidatos que oferecem dinheiro ou bens em troca de votos, mas também para o eleitor que recebeu dinheiro ou qualquer outra vantagem (Informações do site do TSE).

Por outro lado, vale a pena lembrar a presença de uma corrupção institucionalizada no contexto do estado democrático de direito brasileiro. A corrupção está muito latente no comportamento de partidos políticos.

Ao analisar o Programa Político Gratuito. E aqui vale ressaltar programa realmente gratuito, porque as emissoras não recebem nenhum centavo para tal veiculação. Então, nos tais Programas Políticos Gratuitos todos os dias ouvimos, desde a esfera federal passando pela estadual, os apoios políticos recheados de promessas de liberação de recursos etc.

Esse tipo de comportamento político partidário parece ser uma corrupção institucionalizada, onde a população passa a ser um engodo das amarrações políticas. Sendo que, sobre esta mesma população recai a carga do peso dos impostos. Essa mesma população tem o direito assegurado pela Constituição Federal de ver bem aplicado o dinheiro de seus tributos. Mas, por vezes, esse ou aquele partidário não direcional tal verba necessária porque não tem um significativo número de votos em determinada região. Dessa maneira, o povo padece pelos interesses pessoais de partidos políticos.

Infelizmente, a proliferação de partidos no país constitui-se numa corrupção desvelada e o povo brasileiro torna-se refém de leis de proteção ardilosas em prol de uma minoria rompante no poder. Ensejam, pois, o poder a qualquer custo. Gradativamente esquecem que poder em estrito senso da palavra significa servir.

Tal comportamento é preocupante e vale a indignação, pois diante dessa corrupção institucionalizada faz perder os valores referenciais da justiça e do verdadeiro exercício do poder, colocando em cheque a camada mais vulnerável da sociedade. Assim sendo, a corrupção institucionalizada é uma das piores formas de violência contra o ser humano.

Judinei Vanzeto é jornalista, técnico em Contabilidade, licenciado em Filosofia, bacharel em Teologia, e com especialização em Gestão de Instituição de Ensino e especialização em Jornalismo Digital. Além disso, é diretor administrativo da Rádio Vicente Pallotti e pároco da Paróquia São Roque de Coronel Vivida (PR)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima