Apesar da pandemia Pato a Jato continua desenvolvendo seus projetos

Júlia Heimerdinger

A equipe Pato a Jato, formada por acadêmicos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), câmpus Pato Branco, mesmo com a pandemia, continua desenvolvendo suas atividades para as competições. Nesse momento os acadêmicos estão trabalhando remotamente e em escala nas atividades presencialmente na universidade.

Por conta da pandemia, é necessária uma autorização para entrar na faculdade. “Estamos seguindo todos os protocolos de segurança, são apenas três membros da equipe por horário trabalhando na UTFPR”, informa Matheus Chettino, gerente administrativo da Pato a Jato.

A equipe existe há dez anos e já participou de todas as edições da Shell Eco-marathon Brasil. Em 2019 recebeu o prêmio Off-Track na Shell Eco-marathon Americas, no plano de design.

Também é tricampeã na categoria Etanol, a equipe bateu recorde em 2018 quando alcançou a marca de 443,7 quilômetros percorridos com apenas um litro de combustível, o que significa praticamente a distância entre Rio de Janeiro e São Paulo. Em 2019 a equipe bateu novamente seu próprio recorde, com 702,4 quilômetros rodados com um litro de etanol.

Projetos atuais

Em abril será divulgado o resultado da Shell Eco-marathon Americas, e a Pato Jato está participando em quatro planos: comunicação, segurança, inovação técnica e simulação.

Os planos são trabalhos escritos que apresentam o trabalho executado durante a temporada nos respectivos setores da equipe. O protótipo que está sendo desenvolvido é o carro de competição em pista, conhecido como popygua.

“Estamos trabalhando no protótipo agora para participar da inspeção técnica virtual, nós vamos ter que mandar alguns vídeos para a Shell explicando toda a parte de segurança e funcionamento do protótipo”, explica Chettino acrescentando que cada vistoria conta pontos para que a equipe possa participar da competição presencial, prevista para o final do ano.

Chettino avalia que há dois planos que a equipe possui grandes expectativas em receber prêmios, pois estão muito bem executados. “Principalmente o de simulação, onde explanamos o nosso projeto do pedal do freio que foi todo construído na faculdade e impresso numa impressora 3D”, analisa comentando também que nas próximas duas semanas a equipe finalizará os ajustes do protótipo para filmar e enviar para a Shell.

Processo seletivo online

Além disso, está sendo realizado um processo seletivo para ingressos na equipe. Os candidatos são acadêmicos da UTFPR e estão sendo selecionados durante essa semana. O processo consiste em quatro etapas: inscrição, questionário, projeto em grupo e entrevista.

Caso sejam aprovados, se tornam trainees na equipe e durante 60 dias são avaliados, para depois de fato serem efetivados.

“É um desafio para a equipe, pois nunca realizamos uma seleção online, então está sendo bem difícil avaliar perfis e personalidades a distância, mas estamos desenvolvendo”, finaliza Chettino.