Pato Branco

Câmara de Pato Branco realiza adaptações para facilitar acesso de pessoas com deficiência visual

Mudanças realizadas na Câmara foram apresentadas nessa quarta - Foto: Assessoria Câmara Pato Branco

O Dia Nacional do Braile, celebrado nesta quinta-feira (8), traz novidades para a Câmara Municipal de Pato Branco, que conta agora com adaptações realizadas para facilitar o acesso de pessoas com deficiência visual.

Pela primeira vez na história, o município tem entre seus vereadores um deficiente visual, desta forma, as mudanças foram pensadas para que o professor e vereador Rafael Celestrin (PSD) possa realizar suas funções com segurança e independência, além de facilitar o acesso de toda a população que necessita dessas adaptações.

Celestrin afirma que as alterações vão ajudar as pessoas que possuem alguma dificuldade visual e terão maior facilidade em circular pelo local. “Esperamos que essas atitudes influenciem a população e as novas edificações sejam espelhadas nesse trabalho, garantindo a acessibilidade de quem possui alguma deficiência”, comemora.

O presidente da Câmara, Joecir Bernardi (PSD), informou em coletiva de imprensa realizada na quarta-feira (7), as adequações feitas na Casa para atender as necessidades dos portadores de todos os graus de deficiência visual.

Entre as adaptações realizadas na Câmara estão a atualização do elevador, que passou a incluir o sistema de identificação sonora de andares; placas informativas em todas as salas, com a descrição do espaço em braile; modernização dos sistemas da Câmara, realizado durante a gestão passada, possibilitando a consulta de documentos online, com informações digitalizadas e a votação de projetos realizados eletronicamente. Além das alterações realizadas no espaço, as informações postadas nas redes sociais também estão recebendo a descrição das imagens.

Segundo Bernardi, as alterações não geraram grandes custos, o único investimento foi para a adaptação do elevador, um valor de R$ 5.546,50, e beneficia não só o vereador Celestrin, mas também todos os cidadãos que frequentam o local.

Abril Marrom

Durante a coletiva também esteve presente a médica oftalmologista e vice-prefeita Angela Padoan, explicando sobre a importância da campanha Abril Marrom, mês escolhido para conscientizar a população sobre as doenças oftalmológicas que podem causar perda visual.

A vice-prefeita evidencia a importância da conscientização, prevenção e realização de exames de rotina.

Para ela, o Abril Marrom representa o mês de prevenção da cegueira e deficiências visuais. “Amanhã [hoje] é o dia internacional do braile e precisamos trazer uma mensagem muito importante, já que os números mostrados pela Organização Mundial de Saúde [OMS] afirmam que 60% a 80% dos casos de cegueira são reversíveis se identificados precocemente. ”, afirma.

Angela destaca a importância de realizar os exames de rotina periodicamente desde a infância, para identificar possíveis doenças antes de chegar a um nível de acometimento irreversível.

A vice-prefeita ressalta que o principal motivo das pessoas não buscarem por atendimento é a falta de informação e afirma que as campanhas de conscientização podem fazer a diferença nesses casos. “Ações como essas realizadas pela Câmara talvez não sejam notadas por quem não precisa, mas para quem depende disso para se locomover, é algo de extrema importância, por isso parabenizo a Câmara de Vereadores e espero que se torne exemplo para diversos estabelecimentos”, finaliza.

Cegueira

Segundo a Organização Não Governamental (ONG), RetinaBrasil, dados da OMS apontam que 60% a 80% dos casos de cegueira são evitáveis. A ONG também destaca os números mais recentes do IBGE, que revela que são mais de 6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual no país.

Em tempos de covid-19

De acordo com a OMS, dentre as condições oculares comuns que podem comprometer a visão (incluindo cegueira) estão a Doença Macular Relacionada à Idade (DMRI), catarata, opacidade da córnea, retinopatia diabética, glaucoma, erros de refração e tracoma.

Em relação ao glaucoma, o relatório mais recente da OMS mostra que este ano serão 76 milhões de pessoas (entre 40 e 80 anos) com a doença. O número é bastante expressivo e reforça a necessidade de não descuidar, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima