Pato Branco

Candidatos recebem documento Pato Branco 2030

Candidatos receberam os apontamentos do Pato Branco 2030 de lideranças ligadas ao Irdes - Foto: Marcilei Rossi/Diário do Sudoeste

Com Assessoria

Assim, como ocorreu há 4 anos, quando o Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico e Social (Irdes), entregou aos candidatos a prefeito, o documento Pato Branco 2022, na manhã da sexta-feira (9), os quatro concorrentes ao Executivo de Pato Branco, receberam na Casa da Indústria o compilado Pato Branco 2030.

Uma série de apontamentos feito por mais de 140 pessoas, por meio de respostas virtuais, resultou no documento entregue a Carlinho Polazzo, Géri Dutra, Robson Cantu e Volmir Sabbi.

Presidente do Irdes, Marcelo Dalle Teze, explicou que o objetivo do Pato Branco 2030 é contribuir com os candidatos, “repassando a eles a visão de lideranças.”

Ele lembrou que na iniciativa anterior [Pato Branco 2022], os pontos observados foram debatidos em uma reunião, contudo, neste ano, devido a pandemia do novo coronavírus, o questionário foi virtual.

Dalle Teze destacou que alguns eixos foram estabelecidos pelo instituto; visitabilidade, investibilidade, ambiente empreendedor, sustentabilidade e internacionalização. Desta forma, segundo o presidente do instituto, foram apontadas alternativas para o município, que são ofertadas como sugestões aos candidatos.

Ainda de acordo com Dalle Teze, muitos dos apontamentos feitos no projeto Pato Branco 2022, foram colocados em prática.

Segundo o empresário e dirigente do Irdes, Cláudio Petrycoski estar ouvindo as forças vivas e atuantes da sociedade é algo extremamente positivo e pauta o bom debate político. “Boas campanhas são realizadas a partir de grandes propostas que não precisam ser, necessariamente, novas, mas sintonizadas aos anseios da comunidade e a proposta de pesquisa Pato Branco 2030 atende tal necessidade. Planos de governo pautados a partir das prioridades comunitárias se tornam mais fortes e estamos certos de que interagindo com líderes das entidades será possível colher excelentes propostas de desenvolvimento.”

André Almeida, representando o Diário do Sudoeste falou sobre a importância da democracia e da defesa de boas causas comunitárias. “Estamos certos que a proposta de colher sugestões da comunidade e repassar aos candidatos é importante.”

Eixos

O resultado do Pato Branco 2030, organizado pelo Irdes, se resume em 43 páginas de propostas para transformação município, colhidas entre 1 a 30 de junho.  Foram colhidas opiniões sobre habitabilidade – o que fazer para tornar a cidade melhor para se viver; visitabilidade – o que fazer para a cidade ser ainda mais encantadora aos visitantes;  investibilidade – o que fazer para a cidade ser sedutora a quem tem interesse em empreender; ambiente potencializador – o que a cidade precisa ter para incentivar, ainda mais, iniciativas inovadoras que proporcionem transformações econômicas e sociais e a modernização da Administração Pública;  sustentabilidade – o que o município deve priorizar para a proteção e preservação do meio ambiente; internacionalização – o que a cidade pode fazer para potencializar a conexões e seu contato com o mundo e Compliance – o que fazer para que haja o aprimoramento da aplicação dos recursos públicos. O último questionamento aos pesquisados foi: “ Se você fosse prefeito (a) de Pato Branco o que faria, na prática, nos quatro anos de gestão, tendo por base carências da comunidade?

Candidatos

Para Carlinho Polazzo, vê com bons olhos a iniciativa do instituto. Ele pontua que, “nenhum prefeito, nenhum gestor municipal, tem conhecimento de todas as políticas públicas da forma que precisaria, principalmente que se refere ao futuro de Pato Branco. E, as entidades, as instituições, a sociedade civil organizada, tem um papel fundamental na elaboração das estratégias que vão nortear o futuro de Pato Branco. As ações do Poder Público municipal, muito se deve a orientação, a estratégia e o planejamento elaborado pelas entidades que estudam, e trabalham, justamente pensando no futuro do município.”

Géri Dutra destacou a preocupação do instituto com o desenvolvimento de Pato Branco. “Vejo com muita relevância. Estamos ouvindo várias lideranças, que estão presente em vários bairros, trazendo reinvindicações”, ele avaliou ainda que os apontamentos vão desde ações básicas, até prejetos de internacionalização. “Já assumimos o compromisso de estar trabalhando incansavelmente para que possamos atender essas reinvindicações que foram apresentadas”, disse falando em trabalho de forma coletiva para o futuro de Pato Branco.

Robson Cantu, definiu que, “o grande líder é aquele que sabe ouvir o seu povo”. Disse ao mencionar ainda o trabalho que o Irdes desenvolve e repassa aos candidatos. “Nós que estamos dia a dia na cidade sabemos ouvir, e acho que esse complemento vai ser muito importante”. Para ele a “agenda 2030 é muito importante para a cidade do futuro. Estamos comprometidos com esse trabalho que o Irdes está fazendo aqui, pode ter certeza que é isso que nós temos que fazer, (…) acho que nós temos que viver num mundo moderno, aonde as condições devem ser dadas a toda população, e isso que nós vamos fazer. Transformar Pato Branco numa cidade de oportunidade a todos.”

Volmir Sabbi avaliou que “nesse momento, quando a sociedade vai decidir qual o caminho que vai trilhar nos próximos anos, é muito importante que os candidatos ouçam as pessoas.” Ele também pontuou ser “extremamente importante que os candidatos devem se debruçar sobre essas, porque é dessa forma que a gente vai conseguir se aproximar mais das pessoas, para que a gente possa cuidar das pessoas, (…), o Poder Público deve se voltar principalmente para as pessoas mais simples e para as pequenas empresas, que é isso que faz a construção de uma sociedade mais justa.”

Outras demandas

Além do Pato Branco 2030, foram entregues aos candidatos outros documentos. 

O Sebrae, por intermédio do gerente Cesar Colini entregou o ‘Guia do Candidato amigo do negócio’. A que o gerente destacou parte do documento entregue, que afirma “que o objetivo é sugerir uma agenda estratégica para os pequenos negócios.”

Também acompanharam manifesto do advogado João Paulo Frai que representando a Comissão de Ações para a devolução do terreno do Lar dos Idosos (Clubes de Rotary de Pato Branco, Fiep, Irdes, Gama e União das Associações de Moradores) manifestou preocupação com a condição atual da entidade. Após o grupo Empoderação Cidadã, do Bairro Planalto, através de Meri Aparecida Moraes (Irdes e Sindimetal) e Altir Bergamaschi (Comunidade) apresentaram os sonhos daquela comunidade e demandas futuras para os candidatos.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima