Pato Branco

Casa do Papai Noel, é destruída em incêndio

Bombeiros pouco puderam fazer para contar as chamas - Fotos: Jéssica Procópio/Júlia Heimerdinger e Rodinei Santos

Pato Branco perdeu na tarde de sexta-feira, seu ponto de visitação mais simpático

Júlia Heimerdinger e Marcilei Rossi

Um incêndio destruiu a Casinha do Papai Noel, na tarde da sexta-feira (26). Conforme o Corpo de Bombeiros o fogo começou logo após o almoço, por volta das 13 horas, mesmo quem não estava no centro de Pato Branco, pode ver a grande cortina de fumaça preta, que indicava algo de anormal nas proximidades da praça Presidente Vargas.

A causa do incêndio ainda vai ser investigada através de uma perícia que será realizada pela Polícia Científica. Segundo Alecsander Dornelas, major do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná, o princípio do fogo pode ter acontecido por causa de bitucas de cigarro. “Tem relato do pessoal que deu início ao combate que visualizou algumas bitucas de cigarro, uma linha de fogo que ligava a bituca de cigarro até a edificação, então pode ter sido esse fato que deu início ao incêndio”, informou o comandante do Corpo de Bombeiros.

O major também explica que por razão dos dias de intenso calor e sol qualquer resquício pode gerar um fogo de maior dimensão, como aconteceu no local. “Nós passamos por dias muito seco, então a vegetação seca e tudo isso colabora, porque qualquer tipo de fagulha, bituca de cigarro ou qualquer princípio de fogo acaba trazendo um incêndio de proporção que acaba danificando e trazendo a destruição total como foi o caso da Casa do Papai Noel”, esclareceu.

Dornelas também acrescentou que há relatos de que havia pessoas utilizando o local da casa, segundo informações de uma equipe da Prefeitura de Pato Branco, que esteve no local.  “Estavam usando o espaço [de trás] da casa para dormir, tinha colchões e o pessoal deixava ali”, relatou.

O corpo de Bombeiros não recebeu nenhuma notificação de pessoas feridas no incêndio.

Cuidados redobrados

O major reforça que nesses dias de forte calor a consciência da população deve ser intensificada em relação ao descarte correto das bitucas de cigarro. “As vezes nos deparamos com situações daqueles incêndios em beira de rodovia também, o pessoal tá transitando pela rodovia, joga o cigarro pela janela do carro, aquele cigarro cai, pega numa folha seca e inicia incêndio, o princípio se torna uma coisa grande”, complementa.

O uso de fogo para realizar limpeza de terreno é proibido e também é crime. “Não estamos no período de incêndios ambientais, por mais que nós tivemos um período de chuva no começo do ano, agora estamos passando por uma época de seca e calor intenso”, finaliza Dornelas.

Casinha do Papai Noel

Toda a decoração para Páscoa já estava dentro da casa, na manhã de sexta-feira, a equipe responsável pela decoração estava decorando o local. “Não íamos abrir para visitação, mas ela ia estar toda decorada por dentro. Para as pessoas passar, dar alegria no coração das pessoas, aquela alegria de Páscoa”, diz Simone Dalfono, responsável pela decoração da Casinha do Papai Noel.

“Infelizmente tudo foi consumido pelo fogo”, lamentou Simone ao relatar que as 11h, quando encerraram as atividades na casa, não havia nenhum resquício de fogo no local.

“Infelizmente agora temos que esperar, só que não podemos deixar morrer a história, porque a história dessa casa e dessa praça é muito linda, já levou muita alegria para tanta gente, para tantas famílias, e nós vamos levantar a cabeça e levantar a casa também e vamos construir junto com o povo novamente”, reflete Simone emocionada.

Carismática e acolhedora

Não demorou muito para a casa temática, como oficialmente é o nome do local, cair nas graças da população e ser chamada Casa do Papai Noel, uma vez que ali eram realizadas as decorações natalinas e de páscoa.

Inaugurada em 2013, a casa também foi palco de mostra fotográfica e de maquetes, resgatando a história de Pato Branco, mas foi o Natal mesmo que marcou o espaço.

Desde que foi inaugurada, todos os anos, durante as festividades natalinas um livro de visitações estava ali presente. Moradores do Sudoeste, e de outras regiões do Paraná passaram por ali, mas também de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso e Maranhão.

Muitas vezes visitando familiares, pato-branquenses que residem na Alemanha, Itália, Estados Unidos, França, México, Paraguai, Argentina (…) fizeram seu registro na casa.

Já em 2020, a casa cumpriu com seu papel de aconchego, na tentativa de minimizar os traumas impostos por dez meses de enfrentamento da pandemia.

Sem o tradicional desfile, a casa recebeu sua última decoração em dezembro do ano passado, que teve como tema “Natal Encantado”. Sem a presença do Papai Noel, crianças e adultos registram aqueles que foram os últimos momentos festivos da casa.

Mais um incêndio

As chamas que consumiram a Casa do Papai Noel, fez o pato-branquense reviver a dor de ter perdido o Teatro Municipal Naura Rigon, na madrugada de 17 de abril de 2018.

Segundo o prefeito Robson Cantu, equipe do Município está averiguando se a Casa do Papai Noel tinha seguro. Ainda de acordo com ele, mesmo em meio a tristeza na perda, a população, pode aguardar um novo espaço.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima