Pato Branco

Começa plantio nas novas floreiras e parque do Lago Azul recebe arborização nesta sexta

Com as novas floreiras, a estimativa é que o município economize cerca de R$ 150 mil por ano – Foto: Marcilei Rossi

O plantio das flores nas novas floreiras da avenida Tupi, em Pato Branco, começou nessa semana, contemplando primeiro a região da baixada industrial. O trabalho seguirá até que todos os espaços sejam preenchidos, ao longo da avenida.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Antonio Cezar Soares, explicou que o plantio se iniciou pela baixada porque é onde começa o local das mudanças, e que o trabalho precisa ser executado rapidamente porque é uma região de intenso tráfego de veículos e o fluxo precisa ser liberado.

Essas floreiras, de acordo com ele, fazem parte de um projeto que vinha sendo elaborado há cerca de dois anos, redesenhando essa nova proposta para a cidade, que repaginou o projeto existente. “Com essa nova proposta de repaginação das floreiras, haverá uma economia de recursos de cerca de R$ 150 mil por ano”, destacou.

Importante destacar, segundo Soares, que todas as partes metálicas das antigas floreiras foram reaproveitadas, passaram por um processo de reforma, com lixamento, troca das partes enferrujadas e pintura, todo trabalho feito na marcenaria da prefeitura.

“Outro aspecto importante para ressaltar é que com o piso com pedra miracema será mais fácil manter a limpeza. Os vasos de plásticos, que estavam deteriorados pelo sol, foram substituídos pelos artefatos de concreto, que vão permitir maior quantidade de flores, melhor conforto térmico, vão reduzir a necessidade de irrigação, principalmente nos períodos mais quentes, como nos meses de dezembro e janeiro, pois com os vasos antigos era preciso molhar todos os dias porque as plantas morriam”, explicou.

Conforme Soares, os blocos de concreto foram devidamente dimensionados e projetados por uma equipe multidisciplinar das secretarias de Engenharia e Obras, Planejamento Urbano e Meio Ambiente, com sistema de drenagem por baixo. “Toda a fiação elétrica precisou ser substituída, porque estava deteriorada, colocando em risco a segurança das pessoas, por haver perigo de curto circuito”, enfatizou.

Segundo ele, todas essas mudanças implantadas com as novas floreiras permite ampliar o ciclo de permanência das flores, resultando em economia para o município, por estarem em um ambiente maior, com mais terra, umidade e conforto térmico.

“Por fora, as floreiras foram ornadas com as estruturas metálicas e molduras de madeira tratada, cuja previsão é de que durem cerca de 20 anos, dando um aspecto mais natural e deixando a avenida Tupi muito mais florida”, salientou.

Palmeiras

Nessa semana, conforme as flores foram sendo plantadas nas floreiras, algumas pessoas tiveram a impressão de que as palmeiras tinham sido removidas.

Porém, de acordo com Soares, elas não foram retiradas. “O que pode ter ocorrido é algum acidente ou choque de algum veículo. Mas, se essa foi a situação, já devem estar sendo recolocadas ou substituídas, em caso de comprometimento das árvores. Não faria sentido retirarmos as palmeiras, que também fazem parte de uma projeto amplamente discutido e aprovado”, enfatizou.

Plano de arborização

Soares explicou ainda que o plano de arborização do município foi atualizado junto com o Ministério Público. Inclusive, contemplando as palmeiras em locais abertos, fora de fiação. “Em passeio público não se pode plantar palmeiras, e onde tem, estamos notificando para que sejam retiradas”, frisou.

As espécies recomendadas no plano, para serem plantadas em locais abertos, como praças e canteiros, são Oliveiras, Palmeiras, Angico-Vermelho, Canela-da-Índia, Caroba, Cerejeira-do-Japão, Dedaleiro, Extremosa Resedá, Flamboyant-Mirim, Ipês Amarelo, Branco, Rosa e Roxo, Manacá da Serra, Quaresmeira, entre várias outras espécies.

A recomendação dessas espécies serve para evitar os conflitos entre a arborização e os diversos equipamentos urbanos, como rede elétrica, iluminação pública, canais de escoamento pluvial e de esgoto, calçadas, fachadas e acessos.

Substituições

Em relação a substituição das árvores antigas, Soares destacou que já foram plantadas cerca de 4.500 árvores na área central de Pato Branco, desde novembro do ano passado até agora, com praticamente toda a meta cumprida, que é de chegar ao plantio de 5.000 árvores até o fim deste ano.

Lago Azul

O secretário revelou, inclusive, que na tarde de ontem (14), foram abertas covas no parque do Lago Azul, onde serão plantadas em torno de 120 árvores, com cerca de 1,5 a 3 metros, nesta sexta-feira (16), no período da manhã.

O plantio será realizado em covas adubadas, na pista de caminhada e nos bosques, com o auxílio das lideranças do bairro. “É um trabalho interessante, que contempla a educação ambiental e envolve a comunidade, que vai ajudar a cuidar desses locais”, frisou.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima