Dom Edgar, bispo da Diocese de Palmas e Francisco Beltrão emite nota

Tão logo soube do falecimento de frei Policarpo, na manhã deste domingo (4), o bispo da Diocese de Palmas e Francisco Beltrão, Dom Edgar Ertl, emitiu nota, comentando o falecimento do religioso que por mais tempo esteve atuando na diocese.

Dom Edgar deve ser o celebrante da missa das 10h desta segunda-feira (5), em seguida será realizado o sepultamento de frei Policarpo.

Confira a manifestação de Dom Edgar:

“Frei Policarpo: “Passou pelo mundo fazendo o bem, porque Deus estava com ele” (cf. At 10,38).

Recebi consternado a notícia da páscoa de nosso irmão no sacerdócio Frei Policarpo Berri, em Pato Branco, hoje, nas primeiras horas deste domingo, 04 de outubro, festa de São Francisco de Assis. Entretanto, os planos de Deus são outros e surpreendentes. Hoje, Domingo – Dia da Páscoa Semanal, o primeiro dia de nossa ressurreição. Diz-nos o Evangelista João que Ele ressuscitou no primeiro dia da semana, “muito cedo” (cf. Jo 20,1); e dia de S. Francisco de Assis. São obras de Deus que se realizam nas histórias humanas. São coincidências, talvez para os mais céticos?. Para os crentes não. Trata-se de um plano de amor aos seus filhos que viveram segundo o Evangelho e segundo um carisma fundacional, o de S. Francisco partir serenamente, no silêncio da noite, discretamente.

Frei Policarpo, cujo seu nome significa “o que produz muitos frutos”, viveu profundamente o Evangelho e profundamente o carisma que herdou de seu fundador, um semeador da Boa Notícia do Reino de Deus. São Francisco escreveu “que são benditos e felizes aqueles que amam o Senhor e fazem o que o mesmo Senhor diz no evangelho: ‘Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o coração, de toda a tua alma e ao próximo como a ti mesmo’ (Lc 10,27). E amemos o próximo como a nós mesmos. Tenhamos caridade e humildade e façamos esmolas, já que estas lavam as almas das nódoas do pecado. Os homens perdem tudo o que deixam neste mundo. Levam consigo somente a paga da caridade e as esmolas que fizeram: delas receberão do Senhor o prêmio e a justa recompensa. Não nos convém sermos sábios e prudentes segundo a carne, mas temos antes de sermos simples, humildes e puros. Estes serão filhos do Pai celestes se agirem assim e fará neles sua casa”. Frei Policarpo recebeu o prêmio, a eternidade. Deus seja louvado pela vida deste abnegado franciscano que passou pelo mundo fazendo o bem (cf. At 10, 38), porque Deus estava com ele, anunciando a paz, a fraternidade, a justiça, a caridade e abençoando multidões de fiéis e devotos. No céu, junto à Trindade Santa, S. Francisco de Assis, S. Clara, mais um “pequeno irmão”. Deus seja bendito hoje e sempre.

Na mesma fé e esperança na eternidade, promessas de Jesus, a Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, une-se à família franciscana, à Paróquia São Pedro Apóstolo, de Pato Branco, pela vida de doação evangélica por décadas nesta Igreja Local do Frei Policarpo – Deus seja eternamente louvado pela vocação e missão deste nobre filho espiritual de São Francisco de Assis. Que os louvores de São Francisco sejam os nossos louvores pela irmã morte: “Louvado sejas, meu Senhor, Por nossa irmã a Morte corporal, Da qual homem algum pode escapar. Ai dos que morrerem em pecado mortal! Felizes os que ela achar Conformes á tua santíssima vontade, Porque a morte segunda não lhes fará mal”! Descanse em Paz Frei Policarpo!”