Pato Branco

Lideranças alertam para necessidade de prevenção à Covid-19

Comitê de enfrentamento se reuniu na manhã desta sexta-feira (27)

Número de pacientes graves, sem comorbidades, e ocupação de leitos preocupa autoridades de saúde

O Comitê Gestor de Combate ao Coronavírus (Covid-19) em Pato Branco realizou uma reunião extraordinária na manhã desta sexta-feira (27) para tratar do aumento expressivo dos casos da doença e discutir possíveis medidas de enfrentamento. O encontro aconteceu no Largo da Liberdade.

De acordo com o prefeito Augustinho Zucchi, o município deverá seguir algumas das recomendações sugeridas pela Amsop além de adaptar novas medidas de acordo com a realidade local. Não deverá haver fechamento do comércio ou restrições do gênero.

Uma reunião estava programada para acontecer ainda na sexta-feira, para definir medidas e preparar um anúncio de forma oficial. Porém, o que foi possível adiantar é que haverá punições mais drásticas para estabelecimentos que não cumprirem as determinações estabelecidas. “Tomamos algumas medidas que serão comunicadas nos próximos dias, algumas restrições. Por exemplo, não vamos mais notificar, não vamos mais multar, se não cumprirem as regras os estabelecimentos serão interditados”, adiantou o prefeito, sobre uma medida que poderá constar no próximo decreto.

Também deverá haver mais rigor no controle de aglomerações em vias públicas. Em entrevista, Zucchi falou sobre pedir o apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Não foram adiantadas informações sobre a data de publicação de um novo decreto.

Outras mudanças deverão estar ligadas a horários de funcionamento de estabelecimentos e a restrição da presença de crianças em alguns locais.

Tanto o prefeito quanto a secretária de saúde do município, Márcia Fernandes de Carvalho, manifestaram a preocupação com o aumento do número dos casos, com a gravidade do quadro de saúde de muitos pacientes e um possível colapso do sistema de saúde. “Está uma diferença muito grande, não só no número de infectados. O que nós não podemos e não queremos é chegar em um momento em que pessoas tenham que ficar sem a possibilidade de atendimento por um colapso nas nossas unidades de saúde, quer sejam municipais, particulares ou até estaduais”, disse Zucchi.

Segundo Márcia, já foram registrados no município pacientes graves e um óbito de paciente que não possuía comorbidades. Márcia também ponderou sobre a minimização do número de óbitos. “Há quem diga que são apenas 22 óbitos. Mas para quem perdeu um familiar, esse número é 100%. Nós não queremos mais perder vidas em nossa cidade”, comentou.

A secretária afirmou que o município possui insumos e profissionais para o atendimento, porém ela relatou a exaustão das equipes, e também o fato de que há profissionais de saúde positivados e em tratamento.

Prevenção

Outro ponto destacado na reunião foi a intensificação das medidas preventivas. Além de evitar aglomerações, se enfatizou a necessidade de higienizar as mãos constantemente, utilizar álcool em gel e principalmente quanto ao uso de máscaras. “O uso de máscara é consenso no mundo todo. Parece que o cansaço superou o medo, mas nós precisamos a voltar a ter medo disso, pois está chegando forte”, disse o prefeito, que acrescentou que haverá um cuidado com os espaços públicos.

Amsop

Também por conta do aumento expressivo do número de casos de Covid-19 na região, a Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop), divulgou uma carta de recomendações com medidas de enfrentamento ao avanço da pandemia.

Segundo informações disponíveis no site da entidade, alguns dos principais pontos do documento são: Revisão de decretos que flexibilizam festas, bailes, casas de shows, clubes e eventos esportivos; Prefeituras devem evitar a realização de eventos de fim de ano, como abertura do Natal, visita ao Papai Noel e réveillon; a Solicitação de apoio da Polícia Militar na fiscalização das medidas; intensificação do rastreamento e monitoramento dos contatos de casos suspeitos; elaboração de plano de comunicação pelos Municípios para reforçar medidas de prevenção junto à população; empresas devem evitar confraternizações de fim de ano; manutenção de atividades comerciais, desde que asseguradas medidas que evitem o contágio do vírus pelos funcionários e clientes; cumprimento rigoroso de protocolos do Ministério da Saúde, Opas e Secretaria de Estado nas instituições de assistência à saúde da rede privada; Suspensão de atividades religiosas por 15 dias; intensificação das ações dos comitês municipais de enfrentamento à Covid;

Colaboração da população para o uso de máscara de forma efetiva, distanciamento social em locais públicos e isolamento domiciliar, quando possível.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima