Pato Branco

Missão SOS Vida completa 19 anos de funcionamento em Pato Branco

Bolachas natalinas estão sendo comercializadas na Casa do Confeiteiro e no Pavilhão da Paróquia São Pedro - Créditos: Facebook Missão SOS Vida

Júlia Heimerdinger*

A associação Missão SOS Vida iniciou seus serviços em 11 de novembro de 2001. Ao todo são 99 acolhidos, sendo 72 em Pato Branco, 12 em Chopinzinho e 15 em Xanxerê (SC). Nesses 19 anos de atuação foram atendidos, em torno de seis mil acolhidos.

Os acolhimentos são realizados de forma totalmente gratuita para a população do sexo masculino, e a partir dos 18 anos de idade.

A Missão SOS Vida se mantém através de doações de pessoas físicas e jurídicas. Também através do Programa Nota Paraná [em novembro, a entidade recebeu R$ 20 mil em sorteio], outra forma de renda é por meio de vendas de produtos que são produzidos na padaria da instituição, como as bolachas de Natal, panetone, chocotone e pães. A instituição também recebe recursos municipais e federais, a comunidade também presta doações.

De acordo com o coordenador da instituição, Flavio Cesar Brinkmam, o tempo mínimo de tratamento é de seis meses, mas esse prazo pode se estender até 12 meses, pois cada caso é individualizado.

Entre colaboradores que trabalham na Missão SOS Vida e voluntários diretos e indiretos ultrapassa duzentas pessoas, nas três cidades onde o trabalho está presente.

Rotina da casa

“As atividades que acontecem na casa tem como tripé: a espiritualidade, trabalho e disciplina” explica Brinkmam acrescentando também que possui os grupos terapêuticos e de educação permanente.

Os acolhidos também realizam atividades físicas, recebem atendimento da psicóloga, também há uma enfermeira e dentista disponíveis para prestar assistência aos acolhidos. Médicos voluntários também realizam atendimento na instituição.

Há um cronograma de atividades que os acolhidos precisam respeitar durante todos os dias. Tendo horário definido para acordar, realizar as refeições durante o dia, realizam serviços na padaria, cozinha e jardinagem. Há um cuidado direcionado para o meio ambiente e sustentabilidade, também realizam a separação e digitação dos cupons fiscais.

Além das tarefas do cotidiano, eles possuem tempo livre para o lazer, aos sábados de noite tem palestras diversificadas. Grupos de orações acontecem diariamente na casa para os acolhidos.

Segundo Lori Busato, voluntária na instituição, a espiritualidade é um ponto forte na casa. Ela relata que na casa possui uma capela chamada Ressurreição, que simboliza muito o processo dos acolhidos.

Objetivo Missão SOS Vida

“O principal objetivo da Missão SOS Vida é acolher as pessoas e restaurar suas vidas, através dessa principal missão que nós oferecemos várias atividades para que eles possam estar bem” afirma Brinkmama relatando também que o principal impacto é retirar as pessoas da rua.

Conforme o coordenador muitas vezes o dependente químico acaba nas ruas em situação de vulnerabilidade social, algumas vezes cometendo crimes de furto. Então o propósito é gerar melhor qualidade de vida para o acolhido, e consequentemente para a família e a sociedade.

Bolachas de Natal

Especialmente para o Natal os acolhidos estão produzindo bolachas decorativas. Os acolhidos realizam todo o processo da massa da bolacha na padaria dentro da casa, e as voluntárias realizam a decoração com glacê.

As bolachas estão sendo vendidas no valor de R$ 18 com embalagem para presente, no sabor mel. Para quem tiver interesse as bolachas natalinas estão disponíveis na Casa do Confeiteiro. Também é possível comprar no Pavilhão da Paróquia São Pedro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

* Estagiária do Diário do Sudoeste

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima