Pato Branco apresenta Plano de Retomada Econômica Pós-Covid-19

Estimativa é gerar R$ 25 milhões de créditos para Microempreendedores individuais e pequenos empresários

Marcilei Rossi com Assessoria

Prestes a completar 15 meses dos primeiros casos de covid-19 em Pato Branco, a reorganização da econômica, que foi em muitos casos amplamente abalada em meio a todas as medidas de enfrentamento da pandemia, vem sendo pensada localmente.

Nessa segunda-feira (14), o Município apresentou o Plano Municipal de Retomada Econômica Pós-Covid-19, que tem como objetivo fortalecer os pequenos negócios, na retomada de crescimento, possibilitando geração de emprego e renda.

Com um fundo garantidor de R$ 2,5 milhões, o plano será desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, em conjunto com o Sebrae/PR.

“Muitas empresas foram atingidas diretamente pela pandemia do novo coronavírus. Quando assumimos, ficamos preocupados e buscamos soluções diretas para esses empreendedores. Hoje, junto com o Sebrae, apresentamos o Plano de Retomada Econômica Pós-Covid-19, voltado aos microempreendedores pato-branquenses, com ações a curto prazo, visando o crescimento da empresa, geração de emprego, renda e desenvolvimento local”, destacou o prefeito, Robson Cantu.

Na prática, o plano terá cinco etapas voltadas a atender setores que foram amplamente afetados pela pandemia, em especial os Microempreendedores Individuais (MEIs), tendo ainda a missão de desburocratizar alguns serviços e, facilitar o acesso ao crédito.

“Serão várias ações e uma força-tarefa com a sociedade civil para auxiliar estes empresários”, comentou a secretária interina de Desenvolvimento Econômico, Elenice Catafesta Smiderle, ao afirmar que o cronograma estabelecido para o plano é de nove meses.

“Estamos elaborando um mecanismo para facilitar o acesso ao crédito aos microempreendedores. A cada R$ 1 repassado pelo município, o banco, ou instituição financeira, repassará R$ 9, totalizando um potencial de R$ 25 milhões. Nosso objetivo é dar a possibilidade para essas empresas se recuperarem dos impactos causados pela pandemia e cresçam, movimentando a economia local”, complementou Cantu.

Programa

O gerente regional do Sebrae, Cesar Colini pontua que a “intenção implantar a Lei de Liberdade Econômica no município e com isso, revisar a legislação que existe hoje, para poder facilitar e desburocratizar a vida do empresário”, disse ele.

O plano prevê ainda, que os recursos aportados pelo Município terão orientação do Sebrae, através de convênio com a Sociedade Garantidora de Crédito (SGC), com objetivo de gerar um fundo garantidor de crédito para facilitar o acesso aos empresários com dificuldades em obter crédito no mercado, principalmente nos pequenos negócios.

Também deve haver a mobilização de uma força-tarefa, para identificar as principais lideranças constituídas e reconhecidas, sensibilizando e as convidando para compor o projeto e apresentar os objetivos do trabalho, além de pactuar com os membros da força-tarefa. Com isso, será elaborado um diagnóstico da situação com dados primários, secundários além da definição do plano de comunicação e seus canais, realizando o Planejamento – Execução – Monitoramento Resultados.

Faz parte ainda do plano, a implementação do Selo Empresa Segura, que com regras e regulamento próprio, onde o descumprimento das medidas estabelecidas colocará a empresa sujeita a aplicação de multas equivalente.

E por fim, a será criada a Casa do Empreendedor, que oferecerá orientações, apoio e o suporte necessário para os empreendedores, como incentivo na geração de empregos e empreendedorismo, formalizando e levando orientações empresariais e gestão das novas e já existentes empresas do porte MEI na cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *