Pato Branco

Pato Branco estabelece novas medidas de prevenção à covid-19

Entre as ações de combate, fica acordado que todos os setores continuarão funcionando, porém com novos horários

Na noite dessa segunda-feira (22), o prefeito de Pato Branco, Robson Cantu, se reuniu com representantes dos diversos setores do Município para um debate sobre a prorrogação das medidas de enfrentamento a covid-19.

No encontro, realizado no Largo da Liberdade, ficou estabelecido um novo decreto municipal que prevê adequações nas medidas de enfrentamento da covid-19 em Pato Branco.

Entre as medidas estipuladas no decreto nº 8.862, que passa a valer a partir desta terça-feira (23), ficam acordados novos horários de funcionamento para diversos setores da economia local — comércio poderá funcionar das 10 às 19h; supermercados, mercearias e açougues das 9h às 22h e escritórios e prestação de serviços das 9h às 18h.

Conforme o documento, “os demais estabelecimentos poderão funcionar com ampliação do horário de funcionamento, visando facilitar o fluxo dos serviços e o atendimento escalonado de pessoas, limitado o fechamento às 22h.”

A circulação de pessoas em vias públicas ficará proibida das 23h às 5h. A norma não se aplica a trabalhadores que estiverem em trânsito para o trabalho ou para casa; serviços ou atendimentos médicos e hospitalares; farmácias e laboratórios; serviços funerários; serviços de segurança pública ou privada; serviços de delivery de medicamentos ou alimentos para atendimento dos profissionais de saúde em regime de plantão e transporte de cargas.

No entanto, o novo decreto não contempla atividades de instituições financeiras e de clubes, ao mesmo tempo em que academias e clínicas de pilates, também devem seguir decretos e portarias anteriormente editados.

Transporte público

Com relação ao transporte público, a partir de 25 de fevereiro [quinta-feira] e durante o período de 30 dias, contados a partir da publicação do decreto, o transporte coletivo trabalhará com capacidade máxima de 60% de lotação.

Para as indústrias, que oferecem transporte aos colaboradores há uma regra específica que estabelece capacidade máxima de 85% de lotação.

Durante o período de vigência do decreto, fica suspensa a gratuidade do transporte coletivo para idosos, salvo para trabalhadores de atividades essenciais. 

Atividades de Lazer

Conforme o decreto, o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e afins deverá observar o disposto na portaria nº 09, de 28 de outubro de 2020, da Secretaria Municipal de Saúde.

Além disso, até o fim do novo decreto, fica proibido o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas e lotes.

Ainda ficou estabelecido que “ficam suspensas, por tempo indeterminado, as seguintes atividades: I – festas e demais eventos sociais que acarretem aglomeração de pessoas; II – visitas a instituições de acolhimento.”

Leitos

De acordo com o prefeito, o Hospital Policlínica de Pato Branco está finalizando a preparação de mais três leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), exclusivos covid-19. Além disso, segundo Cantu, o hospital já sinalizou a possibilidade de abrir mais uma ala de UTI com dez novos leitos exclusivos covid-19.

Unidades Sentinelas

Para facilitar o atendimento dos contaminados com a doença, o Município trabalha na instalação de duas unidades sentinelas em Pato Branco. Uma no distrito de São Roque do Chopim e outra no bairro Novo Horizonte.

Fiscalização

Durante a reunião, Cantu voltou a afirmar que não tem efetivo suficiente para fiscalizar o cumprimento das medidas de prevenção à covid-19 no Município. Diante da situação, informou ter solicitado ao Exército Brasileiro 150 soldados, para atuarem junto a equipe de fiscalização de Pato Branco.

Ministério Público

No encontro, a promotora do Ministério Público de Pato Branco, Silvana Cardoso Loureiro, informou que a posição do órgão é de que todas as medidas de prevenção à doença, relacionadas a restrição de algumas atividades ou até mesmo a um isolamento maior ou fechamento, precisam ser técnicas e baseadas nos dados e opinião de profissionais da saúde. “Precisamos ouvir os profissionais de saúde”, resumiu a promotora.

“É óbvio que ele vai continuar por muitos meses [o combate ao coronavírus] e claro, vão ainda ter muitas mortes. Mas, a questão do isolamento visa que consiga desacelerar um pouco a situação que está atual para que possamos dar uma estrutura de atendimento de saúde para a população e é com esse atendimento que se consegue salvar algumas vidas. Não é eliminar o vírus. Vai continuar, vão acontecer mortes. A ideia é gerar o menor dano possível, dentro das poucas armas que se tem e se sabe que podem combater”, disse.

“A taxa de ocupação dos leitos, os senhores viram, está faltando. Não é só aqui, não dá para correr para [Francisco] Beltrão. Está bem complicado”, disse a promotora destacando que os profissionais de saúde estão esgotados e que há deficiência de profissionais para trabalhar.

A promotora ainda questionou a eficácia do isolamento imposto nos últimos dias, e questionou o por que não seguir com a medida até que se de o ciclo do vírus na tentativa de frear o contágio.

Medidas de prevenção

Ainda ontem, como forma de desacelerar o contágio da doença em Pato Branco, sanitizações foram realizadas pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) em três locais do município.

Segundo o Departamento de Comunicação de Pato Branco, as higienizações ocorreram na praça Presidente Vargas, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas e no Hospital Policlínica de Pato Branco.

Além da desinfecção, todos os bancos da praça Presidente Vargas foram retirados. A medida, segundo o prefeito em uma live no Facebook da Prefeitura, ficará em vigor “até baixarmos [o número] de leitos de UTI e os hospitais ficarem tranquilo. Vamos fazer festa depois”, disse.

O que diz o prefeito

Para Cantu, o novo decreto, que tem por objetivo diminuir o contágio da covid-19, dará maior liberdade para os pato-branquenses trabalhar. Porém, ele deixou claro que, a qualquer momento de colapso no sistema de saúde, um novo decreto será editado, não excluindo a possibilidade de um novo lockdown.

“Estamos atentos a todos os índices da pandemia. Se o povo não cuidar, nós fecharemos”, disse Cantu completando “não vamos fechar escola. Sabemos da dificuldade financeira que as escolas estão passando, nós também não queremos fechar o comércio que está com problema financeiro.”

Onde a população está se contaminando?

Esse foi o questionamento que o empresário, presidente do Sindimetal, Olcimar Tramontini, levantou durante debate na noite de ontem. Segundo ele, é preciso ter as informações de onde as pessoas estão se contaminando “para poder usar recursos e pessoas para focar exatamente naquele local” porque, como ele disse, “mover pessoas de locais seguros para não seguros pode haver mais a contaminação.”

“Nós não podemos tomar uma atitude que possa piorar. Então, precisamos ter dados para tomar as decisões certas […] Nós temos que criar dados estatísticos confiáveis, usando os que já se tem e criando mais dados e colaborar o máximo possível com a Saúde, até mesmo em quatro mãos para que se amenize o máximo possível a situação”, finalizou Tramontini.

Em resposta a Tramontini, a vice-prefeita, Angela Padoan informou que é “muito difícil agir em um foco só, porque os dados que temos hoje, é de algo que aconteceu no passado e hoje já está tendo outro foco. É essa dinâmica que torna a pandemia tão difícil de sermos assertivos. Então por isso, nós temos que tentar ampliar o alvo para tentar acertar quase sempre ou sempre.”

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima