Pato Branco

Pato Branco flexibiliza horários de estabelecimentos comerciais

Novo decreto entrou em vigor neste sábado (1º) - Foto: Rodinei Santos/Assessoria PMPB

Presença de menores de 12 anos em estabelecimentos comerciais e supermercados segue sendo proibida

Neste sábado (1º), o Município de Pato Branco publicou em Diário Oficial novas medidas de flexibilização do horário do comércio, que já estão em vigor.

As mudanças já vinham sendo antecipadas desde a terça-feira (28), após a reunião do Comitê de Enfrentamento do Coronavírus em Pato Branco, como uma forma de evitar aglomerações nos estabelecimentos comerciais que estavam atuando com horário reduzido, e como o prefeito Augustinho Zucchi avaliou, “[os estabelecimentos] vem cumprindo todas as medidas estabelecidas para evitar a disseminação do vírus”, pontuando assim, que o horário reduzido contribuía para possíveis aglomerações no comércio.

Zucchi também antecipou na terça, que havia um pedido de ampliação de horários para as mercearias, com a possibilidade de atuação aos domingos.

De acordo com a assessoria de imprensa do Município, todos esses temas foram debatidos na quarta-feira (29), e apresentados aos Ministério Público Estadual (MPPR) e para o Ministério Público Federal (MPF), que integram o grupo que gere as tomadas no enfrentamento da pandemia.

O que muda

Assim o decreto 8.738, assinado na quinta-feira (30) e permite que o comércio em geral volte a atender no horário normal, das 8h30às 12h e das 13h30 às 18h. Devido a uma série de decretos editados para conter a proliferação do novo coronavírus, os horários vinham sendo praticados de acordo com cada segmento.

A nova determinação ainda abrange as academias fiquem liberadas para atuação das 6h às 21h, de segunda a sábado.

Os bares ficam autorizados a funcionamento de segunda a sábado, das 9h às 19h.

Já para restaurantes e lanchonetes passam a ter atendimento das 8h às 22h de segunda a sábado, enquanto que domingos e feriados das 11h às 14h30.

Para atendimento delivery a atividade fica estendida até às 23h, de segunda a domingo.

Mercados e supermercados que ficavam abertos ao público até às 19h, e aos funcionários até às 20h, tem o horário ampliado das 8h às 20h de segunda a sábado.

Com a ressalva de que não é permitido o consumo no local, as mercearias ficam autorizadas a atender das 8h às 21h, de segunda a sábado. Já nos domingos o atendimento deve passar a ser das 8h às 13h.

As panificadoras, que foram incluídas em outro decreto como categoria essencial passam a ter como horário das 7h às 20h de segunda a domingo.

Avaliação feita

“Percebemos que o comércio não é ponto de contaminação”, disse Zucchi, afirmando que este entendimento é de membros da Secretaria Municipal de Saúde, mas de profissionais da saúde do sistema privado, que também foram consultados para a mudança do regramento. Ele afirmou ainda que nos estabelecimentos comerciais estão sendo utilizadas máscara e álcool gel e cobrado dos clientes.

Conforme Zucchi, a decisão de flexibilização do horário levou em conta também levantamento feito junto ao serviço de transporte coletivo, que já não estava mais surtindo efeito como no início do enfrentamento, quando as pessoas alternavam o uso do transporte de acordo com o horário que saiam do trabalho.

“O que resolvemos foi deixar o horário do comércio normal, evitando a aglomeração”, disse o prefeito, falando ainda que ao estabelecer horário normal para os supermercados até às 20h, “ajuda bastante, já que dá um tempo a mais para as pessoas comprarem [ao saírem do trabalho]”.

Com relação as mercearias, ele destacou que os regramentos devem ser observados, e destacou parte da reunião com os empresários deste segmento na sexta, quando foi enfatizado que todos devem contribuir.

Com relação a mudança no horário do transporte coletivo, o prefeito falou que este deve ser adequado, mas que por enquanto, deve ser observado como o serviço se porta com a retomada do horário tradicional do comércio de Pato Branco.

Volta às aulas presenciais

Nesta semana o governo do Paraná cogitou a possibilidade de retomada das aulas presenciais no Estado no mês de setembro. Zucchi afirmou achar temerária a retomada das aulas presenciais em uma situação de crescente de casos da covid-19, ao mesmo tempo em que destacou que o Município tem seu calendário escolar atrelado ao do Estado. “Vamos analisar nossa realidade aqui”, disse completando que a avaliação será feita com os professores, e equipe de saúde.

Pela proposta inicial do Estado, as aulas presenciais retornam no fim de setembro, e de forma escalonada.

Mesmo tendo o calendário atrelado ao do Estado, ao que se refere dias letivos, Zucchi não descartou a possibilidade de cumprir os dias letivos, mas de forma remota, como vem sendo aplicado desde os primeiros decretos editados em março, ao que voltou a afirmar que é necessário observar a evolução da doença no município e também um entendimento tanto dos profissionais da área da educação como da saúde, para tal medida.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima