A triste marca de 100 óbitos por complicações provocadas pelo vírus causador da covid-19, foi atingida por Pato Branco nessa terça-feira (16).

O número que é simbólico foi registrado, na véspera de completar um ano da primeira reunião aberta para falar da pandemia que já estremecia o mundo, e que em 17 de março de 2020, tinha em Pato Branco, quatro casos suspeitos na ocasião.

Àquela altura, o então prefeito Augustinho Zucchi editou o primeiro decreto (8.631) de enfrentamento da pandemia, que imediatamente estabeleceu protocolos às pessoas com sintomas, mas que também realizou as primeiras restrições sociais, como o ensino remoto, a contar do dia 20 de março, uma sexta-feira.

Também naquela ocasião foi divulgado que o Município ampliou o número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais, com cada hospital acrescendo em deis leitos cada. Ainda a estruturação de seis leitos UTI covid na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), totalizando assim, 36 leitos intensivos em Pato Branco.

Assim, como regras de restrições, variações nos números de leitos ofertados, a regulamentação de medidas para o uso do transporte público também foi amplamente debatida e questionada ao longo deste primeiro ano de enfrentamento da pandemia.

Em um ano ainda, Pato Branco viu o número de contaminados crescer, com sua grande maioria se recuperando, em 31 de dezembro de 2020 eram 3.239 casos confirmados e 3.118 recuperados, com 35 óbitos.

Com o passar dos dias, em especial a chegada do mês de fevereiro trouxe ao município outra realidade que já preocupava pesquisadores, as variantes virais.

Dados de 5 de fevereiro, remetem a um período que Pato Branco tinha 3.994 casos confirmados, 3.889 recuperados e 47 óbitos desde o início da pandemia.

Já nessa terça, o mais recente boletim epidemiológico, que revelou a liberação de resultado de 212 exames, com 38 positivados em um dia, também apresentou que no momento, 913 pessoas aguardam o resultado de seus testes.

A contar daquela 17 de março de 2020, até agora, são 5.943 casos confirmados e 5.625 recuperados.

Pato Branco assim como toda a macrorregional Oeste, onde estão inseridos os municípios das 7ª e 8ª regionais de saúde, sofrem com a superlotação dos leitos exclusivos covid, em especial os de UTI. Ontem, a taxa de ocupação na macrorregional atingiu 97%.