Prodeagri destinará R$ 1 milhão para a agricultura familiar

Foi lançada na tarde desta quinta-feira (23), a terceira etapa do Programa de Desenvolvimento da Agricultura (Prodeagri), iniciativa municipal de repasse de recursos para a agricultura familiar. O lançamento do programa foi realizado no Largo da Liberdade, e contou com a presença de agricultores de várias comunidades de Pato Branco, além de lideranças e representantes do poder público.

Criado em 2013 por meio da Lei nº 4.207, o Prodeagri visa financiar equipamentos, insumos, serviços e outros materiais para fomentar as pequenas propriedades e assim contribuir com a diminuição do êxodo rural.

De acordo com Vanessa Zanon, secretária municipal de agricultura, ao todo serão destinados cerca de R$ 1 milhão para o programa em recursos próprios do município, sendo que cada produtor inscrito poderá receber até R$ 3 mil em subsídios. “Esse programa contempla os pequenos agricultores com subsídios como insumos, máquinas para agroindústria familiar, materiais de construção para melhorias das benfeitorias na propriedade”, detalha Vanessa, sobre as possibilidades de utilização do recurso nas pequenas propriedades.

Para participar do programa é necessário realizar uma inscrição junto a secretaria de agricultura. “Ele vai levar a demanda dele, será feito um projeto e a gente vai avaliar, através do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural. Posteriormente será montado um projeto único para licitação e repassar o material para o produtor rural”, continua a secretária, sobre o processo de seleção.

As inscrições devem ser feitas entre os dias 27 de setembro e 28 de outubro. Segundo Vanessa, em Pato Branco há cerca de 300 agricultores que atendem aos pré-requisitos do programa. “Pode parecer pouco, mas muitos produtores têm a necessidade desse recurso, que é bem-vindo para o nosso agricultor. O objetivo é para que o produtor permaneça no meio rural”, completa.

A agricultora Izabel Bertoldo, moradora da comunidade Barra do Dourado, já foi beneficiada pelo programa e deve realizar inscrição nesta nova etapa. Ela disse já ter usado o recurso para reforma de estrebarias, cobertura de chiqueiros, da casa, materiais como arames, entre outras melhorias na propriedade. “A gente deve utilizar de novo pois com essa pandemia dificultou mais ainda. Esse benefício será excelente, tanto pra mim como para os outros agricultores”, comenta Izabel.

Ela conta ainda que antes do programa, seria necessário recorrer a empréstimos de programas como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura (Pronaf) para o custeio de pequenas reformas e obras de manutenção.

O prefeito Robson Cantu disse ser importante valorizar a agricultura, especialmente a agricultura familiar. “O setor público tem o dever de cuidar desse setor. Esse projeto é muito interessante”, avalia.