Cultura

Produção poética conscientiza sobre coronavírus e ajuda instituição

O publicitário e funcionário público de profissão, e poeta por amor, Iomar Bertazo — mais conhecido como Mazinho –, diante da pandemia de covid-19, sentiu a necessidade de fazer algo mais do que esperar ela passar. Ele, em parceria com Caludir Urbano e Valdir Verona, lançou o single “Ameaça Invisível”, cuja letra trata sobre a conscientização sobre o coronavírus.

Além de informar as pessoas de um modo diferente, Mazinho e seus amigos disponibilizaram o trabalho em todas as plataformas de música por streaming, além de redes sociais e YouTube, e todo o dinheiro arrecadado através da monetização será revertido ao Lar de Idosos São Vicente de Paulo.

Mazinho diz que a ideia foi usar da arte poética — e um leve tom humorístico — para tentar conscientizar a população sobre os cuidados a serem tomados com a covid-19 e os impactos que ela vem causando no mundo. “Como estava envolvido com o tema (coronavírus) por conta do meu trabalho na prefeitura, eu tinha muita informação e estava por dentro do assunto. Foi uma questão de parar e escrever. Em meia hora ficou pronta”.

Os versos, diz o poeta, vieram em um momento de inspiração. “A letra trata do coronavírus, mas também lembro da dengue, dizendo que,como muitos estão em casa, podem aproveitar o tempo e tomar alguns cuidados com o seu lote”, observa.

Parcerias

A letra de Mazinho foi interpretada pelo radialista Caludir Urbano e musicada por Valdir Verona, o que resultou em um belíssimo trabalho. “Não conheço o Caludir Urbano pessoalmente, sou um ouvinte do seu programa nas manhã de domingo pela rádio Onda Sul. Notei que ele tinha um estilo da declamação que combinava com que tinha acabado de escrever”, comenta. Como Mazinho e Urbano já tinham feito contato para trocar ideias sobre música gaúcha, o poeta o chamou pelo whatsapp e mostrou o que havia escrito, perguntando sobre a possibilidade de gravar nos estúdios da Onda Sul. Detalhe: Caludir também é servidor público há 30 anos, e atualmente é motorista no Hospital Regional, por isso também estava envolvido com o tema. “O padre Bressani, que é diretor da emissora, gostou da causa e autorizou gravar. Ele fez uma única gravação e eu, em casa, editei e usei uma trilha já gravada do violista Valdir Verona, da cidade de Caxias do Sul”.

Arrecadação

Hoje, é possível ouvir “Ameaça Invisível” nas principais plataformas digitais, como  Spotify, Deezer, Apple Music, YouTube Music. “O objetivo é divulgar o trabalho para que, com a monetização dos direitos autorais, a gente possa ajudar o Lar dos Idosos São Vicente de Paulo, de Pato Branco. Quanto mais gente ouvir, mais ajuda conseguiremos oferecer. E é muito importante que se faça alguma coisa para ajudar neste momento”, garante.

Serviço
Single Ameaça Invisível (Coronavírus)
Interpretação: Caludir Urbano
Letra: Mazinho Bertazo
Música: Valdir Verona
Disponível nas principais plataformas digitais, redes sociais e YouTube
Produção sem fins lucrativos.

Ouça aqui.

Confira a letra:

Ameaça Invisível (Coronavírus)

Tem um vírus pelo mundo
Que anda apavorando.
Foi lá pras bandas da China 
Que o Corona foi se alastrando.
Televisões, rádios, jornais
Assim foram divulgando.
Ele invadiu a tal da internet 
Logo foi amedrontando.
Dentro de poucos dias
No planeta se espalhando.
E não tem nação no mundo
Que ele não foi chegando.
O povo sem muita crença 
Nem bola pra ele foi dando.
Precisou morreu alguns 
Pra geral ir se ligando.
E assim diz o ditado
Que é na dor o aprendizado,
Para ir se conscientizando.

O povo todo em pavor
Com o que andam noticiando.
As entidades de saúde 
Foram se organizando.
Algumas medidas e prevenções 
Aos poucos foram tomando.
É pra lavar as mãos com sabão 
Álcool gel, é pra ir passando.
Abraço, beijo, aperto de mão 
Não vá assim se cumprimentando.
Se for espirar ou tossir
A mão na frente vá colocando.
Não esqueça que um lenço
É pra você ir usando.
Evite estar em alguns lugares
Aonde o povo vai se amontoando.
Alguns hábitos você mude
Mantenha em dia tua saúde,
Que o vírus não vai te pegando.

Até na nossa tradição 
O Corona foi bagunçando.
A nossa roda de mate
Não é pra ir compartilhando.
Não quero me contaminar 
E nem ir contaminando.
Cada um com a sua cuia
Pro chimarrão ir tomando.
Os meus objetos pessoais 
Não estou compartilhando.
Não esqueça dos vulneráveis
Crianças e idosos vá cuidando.
Se estás com algum sintoma
Procure ir se isolando.
Se o caso não for grave
Em casa vá se tratando.
Nos sinais preste atenção,
E se piorar a situação
Um hospital vá procurando.

Pelas mídias sociais
Recebo e vou enviando.
Mas nem tudo que você vê
É pra tu ir acreditando.
Desconfie, abra o olho
Verifique, vá pesquisando.
Acesse os canais oficiais
As notícias vá confirmando.
Pra depois meter o dedão 
E pra frente ir repassando.
Também não seja negligente
Não vá se desleixado.
E já que você está em casa
Com tempo livre sobrando.
Aproveite a oportunidade 
O seu lote vá limpando.
Bote a mão na cabeça,
Da dengue não te esqueça
Ela muito gente esta matando.

Praças, parques, ruas,
Avenidas foram silenciando.
As fábricas, as indústrias,
O comércio está parando.
Mas o seu coração meu nobre
Pra isso não vá se fechando.
O nosso dia a dia, nossa rotina
Esse vírus foi modificando.
Pois parece que tudo,
Que tudo tá se encaixando.
Agora você tem tempo, 
Nem sabem como ir se ocupando 
Os pais estão com os filhos, 
E em família estão brincando.
O trabalho não é prioridade,
Viagens estão desmarcando.
Aproveite cada segundo, 
Pois este nosso lindo mundo
Aos pouco irá se ajeitando.

E foi assim, bem do nada
Algo invisível foi chegando.
Mas a salvação da terra
Jesus está providenciando.
Nós estamos na quaresma 
E pela quarentena passando.
Então é hora de reflexão 
É tempo de irmos rezando.
E o que é certo, errado,
Devemos ir separando.
O momento requer perdão
E o senhor vai nos perdoando.
Basta conversar com Ele
Os joelhos ir dobrando.
Talvez seja uma provação
Que temos que ir passando.
Esteja com Deus e Virgem Maria
Que essa tal de epidemia
Nada irá te abalando.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima