SSUCv3H4sIAAAAAAAEAJ1TwW7DIAy9T9o/VJxbKUBIYL8y7UCC26IlpQKyaZry7yOkaZ2t22G3+D3bvGc7n48Pmw1pdLAtedp8TlGKbdcNIXodrTsluNhecDA2Om91N4ETNmaGhKjjECCgFpRxv08xXWq1cQ2E6NrXhPIFbewhY+ejiw4TBs4u2JjxsCI86D5E2wPuHo5DjOCX/hSJa3WEQ1K9krc4fp7jzUJkMlUkipAtwsLQZGyBxu2/K+ePl+tgDnBqPyZtI1LtoQM9j/R5TiWv78lhn11ckt6sAYdiPRjrkMs31+ouTw91Pnvb2tMBlbl4BI/iNi3f9Qg4uZiVXIwRk0Y6hZRTKXjNqChryWQlJVkOIu3BGjzx7wsljDFZsFow8tsxEFYJJaRgNbl7RYTxQiilaEF+HOPRpiz/gQQM585pA+YG3XkyOSmkYoWS1xX+UH7JkZShnNVV5gSeZnJLuP4PmSvLur5xK1NzQkVrOvPj9cSHprfpyNcG7ouTvED975uUvFJ/apBluWhA47XT+2QvKtYAY7u6YnJXVhp2aVP7ndqrUlda8FJBWsr4BS5AG91gBAAA

A realidade do ensino remoto ficou ainda mais evidenciada no mundo com a pandemia do novo coronavírus. O que antes era apenas conhecido como educação a distância e voltada a adultos foi inserido no universo da alfabetização, e se estendeu por todos os ciclos de formação.

Com o início de um novo ano, a preocupação de muitos pais é para que os filhos voltem para as salas de aula para dar continuidade em seus estudos. Assim o tema vem sendo amplamente debatido e de certa forma é uma das grandes preocupações dos novos gestores municipais, quando o assunto é rede municipal de ensino.

Em Pato Branco, uma reunião realizada na tarde dessa quarta-feira (27), onde participaram representantes da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Núcleo Regional de Educação, de cada uma das escolas da rede privada, Vigilância Sanitária e o promotor da Vara da Infância e Juventude de Pato Branco, Raphael Adalberto Soares.

Em linhas gerais os temas definidos na reunião serão apresentados em uma coletiva, em data a ser definida pelo Município, contudo, a secretária de Educação, Simone Painin revelou ao Diário do Sudoeste que as aulas da rede municipal de ensino vão retornar em Pato Branco de forma remota no dia 18.

Um segundo encaminhamento é para a volta às aulas presenciais. Isso deve acontecer em 1º de março, ou seja, o Município terá seis dias úteis para adequar os ambientes escolares para receber os estudantes para o Simone chamou de ensino escalonado. “A partir do dia 1º de março, depois que as escolas estiverem todas estruturadas, precisamos do aval da Vigilância Sanitária”, afirmou Simone dando ênfase que as adaptações passarão por vistoria do órgão ligado a Secretaria da Saúde.

De acordo com a secretária somente com o aval da Vigilância o modelo de escalonamento será implementado no município. Simone ainda faz uma ressalva, “os alunos que os pais não autorizarem a virem para as escolas, vamos estar atendendo de maneira remota.”

Cmeis

A mesma reunião também tratou da situação dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), que Simone revelou a intenção da secretaria de retomar com as atividades, contudo, também após todas as adaptações que serão necessárias.

Simone afirmou que as matrículas foram realizadas seguindo o cadastro de vagas, e que no momento, todas as vagas ofertadas foram preenchidas.