Pato Branco

Tecnologia está entre os setores menos atingidos pela pandemia

Poucos são os setores que não sofreram grandes impactos econômicos nos últimos meses devido a situação de pandemia provocada pelo coronavírus. Entre os setores pouco atingidos está o de tecnologia.

O presidente do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) de Pato Branco, Alaxendro Rodrigo Dal Piva, afirmou que com base em reuniões do setor e análise da situação é possível relatar que houve um pequeno período de estagnação, de não fechamento de contratos na área de tecnologia – que já era esperado – nos primeiros dois meses de pandemia, mas que atualmente está em retomada gradativa.

Ele contou que esse cenário positivo sobre o setor foi possível identificar em conversas com o secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Vinicius de Bortolli, com parceiros associados ao NTI e em reunião com membros da Sudotec, Novitec e Sebrae.

“Um dos setores que mais sentiu na área de tecnologia foi o de turismo, principalmente pelo fechamento de inúmeros locais importantes de visitação, como Foz do Iguaçu e o Pão de Açúcar. Isso porque há empresas de Pato Branco que desenvolvem software para esses locais. O impacto foi muito grande. Mas, os demais setores de tecnologia mantiveram a normalidade, até pela necessidade do trabalho home office. Com isso, a demanda até aumentou. Tanto que se pegar como exemplo a minha empresa ou as demais, em vez de terem redução no quadro de funcionários, a partir desse mês estão havendo várias contratações, estão progredindo gradativamente”, revelou.

Dal Piva destacou que no início da pandemia houve algumas demissões e cancelamento de alguns contratos, principalmente pelo mercado incerto. Mas que a partir desse mês de julho começou uma retomada nesse segmento. “Vejo que o TI vai crescendo cada vez mais, principalmente na necessidade da utilização tanto do trabalho home office quanto na melhoria dos processos produtivos na indústria, no comércio e no serviço. Então, as contratações estão aumentando de maneira gradativa. Se conversar com o pessoal do Parque Tecnológico vai observar que não há vagas para empresas incubadas. Então percebemos que o mercado está preaquecido, caminhando para um aquecimento total. Estamos nos preparando para uma retomada crescente da economia para daqui a uns dias, e as empresas estão bastante preocupadas com isso, treinando e capacitando seus colaboradores, preparando suas estruturas internas, e principalmente trazendo novas tecnologias, que é uma das habilidades das competências existentes em nossas empresas de Pato Branco e da região”, frisou.

Nessa semana, o secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Vinicius de Bortolli repassou a informação de que há 25 empresas incubadas em Pato Branco.

Segundo ele, no Parque Tecnológico há 31 empresas, mais seis empresas no CETIS e mais 55 empresas no Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI). “Fora as do Parque Industrial e as espalhadas pela cidade, o que faz chegar ao número aproximado de 100 empresas de base tecnológica no Município”, revelou.

Ele contou ainda que semanalmente há consultas de empresas de fora procurando conhecer o município de Pato Branco e as vantagens de se instalar nele. “Além de projetos para incubadora, praticamente de três a quatro novos projetos a cada bimestre”, evidenciou.

Clique para comentar
Para cima