Vacinação avança e casos de covid baixam em Pato Branco

Com mais de 88% da população com primeira dose, município vai vacinar jovens de 18 anos

Prestes a completar 8 meses, — na próxima segunda-feira (20) —, do início da campanha de vacinação contra a covid-19, Pato Branco começa na sexta-feira (17), a imunização de jovens com 18 anos, segundo cronograma divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde. Chegando assim, a cobertura de toda a população adulta estimada em 63.436 pessoas que foi preconizada pelo Plano Nacional de Vacinação, e que foi acatado pelo Estado.

Dados do Localiza SUS, do Ministério da Saúde, do início da noite dessa quarta-feira (15), apontam que Pato Branco recebeu desde o começo da vacinação até agora 98.954 doses de imunizantes, sejam eles para primeira, segunda ou dose única.

Do total, 87.250 doses já foram aplicadas, o equivalente a 88,2%. O que implica dizer que 56.198 foram para a primeira aplicação, o equivalente a 88,59% da população preconizada, ao mesmo tempo em que 29.280 foram para a segunda dose e 1.772 e dose única.

Levando em conta a aplicação das duas doses ou dose única, 48,9% da população de Pato Branco já complementou o esquema vacinal, que segundo especialista é fundamental para a imunização contra a covid-19, e redução efetiva dos casos da doença.

Ainda, estudo Britânico, divulgado nesta semana, revelou que a aplicação completa das doses reduz em 73% a probabilidade e hospitalização.

Eficácia

A corrida contra o relógio, mesmo com uma série de interrupções nos cronogramas de vacinação, para frear a pandemia que somente em Pato Branco matou 292 pessoas por agravamentos da doença, vem nos últimos meses mostrando sua eficácia.

O município que em junho deste ano registrou o momento mais crítico da pandemia, com 64 óbitos, viu o mês de agosto terminar com índices parecidos dos primeiros meses do enfrentamento da doença ainda em 2020. No mês, foram quatro mortes por complicações da infecção viral.

Até então, o mês de janeiro, com dez mortes tinha sido o menos letal em 2021.

Anderson Nesello, chefe da 7ª Regional de Saúde (RS), avalia que a vacinação da população vem permitindo observar no Paraná e no Brasil, o que não é diferente em Pato Branco, uma redução no número de casos. Segundo ele tal conduta está “diretamente ligada a vacinação, o poder dela [vacina de] não deixar agravar a doença, corroborando com os cuidados básicos de distanciamento que tornaram isso uma regra.”

Ele também destaca o notório arrefecimento da rede hospitalar, inicialmente nos internamentos em enfermaria, o que consequentemente também reflete na não necessidade de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), “muito menos de intubar, como tínhamos naquela loucura de um tempo atrás”, pontua Nesello.

O diretor da 7ª Regional de Saúde pondera que os bons números de agora são espelho da vacinação, contudo, ele recorda que não há uma solução única, e lembra que o comportamento de distanciamento social, condutas de higiene que estão sendo preconizados desde o início da pandemia também contribuem para os índices atuais.

“Ter um percentual acima de 50% da população vacinada, se começa a ter um quadro de disseminação menor”, comenta Nesello falando que mesmo com o quadro que se mostra promissor, não é momento de abandonar boas condutas que já são parte da rotina, com máscara, distanciamento, álcool gel e lavar bem as mãos, ao que completa, “parece que está tudo tranquilo, [mas] ainda corremos o risco de ter aumento dos casos, talvez não tão graves, mas pode ser que eles voltem a ocorrer.”

Na lista de cuidados, ele ainda acrescenta a importância da complementação do esquema vacinal.

Paraná

De acordo com o Localiza SUS, das mais de 13,5 milhões de doses distribuídas no Paraná, quase 12 milhões foram aplicadas, ou seja, 87,6% dos imunizantes entregues aos municípios, já foram utilizados.

Xepa da vacina

Desde o início da aplicação das doses da vacina contra a covid-19 em Pato Branco, vem se divulgando que o Município não realiza a chamada xepa da vacina, que é quando cria-se uma lista de espera para que pessoas interessadas em se vacinar sejam chamadas ao fim do dia, quando um frasco estiver aberto e assim evitar desperdícios.

Mesmo que por diversas vezes a coordenação do Programa Municipal de Imunização tenha afirmado que não houve desperdícios de doses, devido a sistemática adotada, de controle na abertura de frascos próximo ao término diário de aplicação, a Câmara de Pato Branco aprovou a Lei 5.813 que foi sancionado pelo Executivo e publicada em Diário Oficial na quarta-feira (15), estabelecendo assim o Cadastro de Lista de Espera de interessados pelas sobras das vacinas de covid-19.