Política

Carlinhos Polazzo confirma candidatura ao Executivo pelo Democratas

Pouco mais de um ano depois de desabafar nas redes sociais sobre uma possível traição de seu antigo partido, quando disse que não seguiria adiante com sua carreira na política, Carlinhos Polazzo confirma sua candidatura à majoritária de Pato Branco pelo Democratas, “partido onde me senti acolhido”, disse.

A oficialização do seu nome para concorrer à cadeira do executivo ocorreu na noite da quarta-feira (16), no auditório da Câmara de Vereadores, local que Polazzo conhece bem — já foi vereador por três mandatos. 

Com a presença de lideranças partidárias, tanto do Democratas quanto do PDT e DEM, ele contou com o apoio público do ex-prefeito, Roberto Viganó (PL), e de sua esposa Neusa Viganó, que compuseram a mesa de honra da convenção.

Em seu primeiro discurso como candidato, Polazzo fez uma analogia comparando a Prefeita à função de pai e mãe. “A Prefeitura não é um departamento, mas o pai e a mãe de cada cidadão. E pai e mãe tem função de proteger, de cuidar e zelar, mas também de educar e preparar para o futuro”, disse.

O candidato mencionou que seu plano de governo é baseado em no tripé Educação, Saúde e Desenvolvimento Econômico, e que ele não tem interesse nenhum em polaeização e briga entre prefeito e vice. “Minha candidatura não é uma aventura. Eu não preciso de colinha para saber onde fica cada bairro, cada comunidade. Estou preparado porque conheço minha terra e sei exatamente em qual ferida tenho que colocar o dedo”, defendeu. Disse ainda que é preciso transparência nos processos e melhoria das políticas públicas, e não de uma prefeitura que se coloca em um pedestal. “A prefeitura precisa ter a cara do seu povo”. 

A convenção definiu ainda que o partido terá 17 candidatos a vereador, e fechou parceria com o PDT. Contudo, até o fechamento desta edição, a coligação ainda estava em aberto, assim como o candidato a vice-prefeito com Polazzo.

Apoio

O apoio da família Viganó veio, conforme o ex-prefeito, porque Polazzo foi seu braço direito enquanto chefe de gabinete, e ainda o ajudou quando estava na Câmara. “Tinha pensado em não mais me envolver com política, mas Pato Branco precisa de alguém que lembre dos humildes, que atenda às demandas dos bairros”, disse em seu discurso de apoio.

Neusa também foi enfática em dizer que não mais esperava estar em uma convenção, fazendo parte da mesa, mas que foi convencida pela política sincera e de amor à cidade que Polazzo desempenha.  

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima