Política

Deputado avalia como sensata a decisão do governo em não ampliar a tarifa da água

Guerra chamou a atenção para homologação de reajuste na sessão da quarta-feira - Foto: Orlando Kissner/Arquivo Alep

Foi na sessão remota da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), da quarta-feira (26), que o anúncio do reajuste da tarifa de água repercutiu negativamente. Na terça-feira (25), a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) homologou o reajuste de 9,62% da tarifa da Sanepar. Pelo comunicado a nova variação da tarifa entraria em vigor em 31 de outubro. Em abril de 2019, houve reajuste da tarifa.

O deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) prontamente se manifestou na sessão da Alep quanto a situação, lembrando o atual momento da pandemia do novo coronavírus, a crise hídrica que vem resultando em constante desabastecimento e racionamento de água em várias regiões do Estado.

A repercussão na Alep fez com que o Governo do Estado se posicionasse junto a Agepar, para a suspensão do reajuste na conta da água.

Para Guerra a nova postura do governo é um sinal positivo, pelo atual momento, “em que a população precisa do Estado presente em sua vida”, disse na sexta-feira (28), ponderando que mesmo com a recessão econômica o Estado deve ser atuante, uma vez que o índice de desemprego cresce e muitos não estão tendo condições de manter nem mesmo a alimentação.

Lembrando que tal reajuste tem sua legalidade, Guerra pontua ainda a importância de todos os deputados terem se manifestados em prol da não ampliação da tarifa.

Transparência

O deputado ainda comentou que no atual momento, muitos municípios tiveram decretado o Estado de Calamidade Pública [além da solicitação dos Executivos municipais, é necessária a aprovação da Alep]. Tal situação permite que sejam realizados contratações com dispensa de licitação, o que torna-se um risco para a saúde financeira dos municípios. “Entendo que este é o momento do cidadão paranaense poder ter um acompanhamento de onde estão sendo gastos os recursos públicos”, disse ele, pontuando que mesmo havendo a necessidade de um investimento em saúde pública neste momento, os casos de corrupção estão sendo relatados constantemente pelo mal usos dos recursos.

“É o momento da população saber onde o seu gestor está alocando recurso, para que não tenha desvios de conduta”, pontuou lembrando episódios de superfaturamento na aquisição de respiradores e equipamentos de proteção individual (EPIs).

Pela proposta do deputado o Portal da Transparência deve ter um canal específico de onde estão sendo investidos os recursos neste momento.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima