Deputado Guerra lidera ranking dos que menos gastaram

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) divulgou, através do Portal Transparência, dados que mostram que nos cinco primeiros meses deste ano o valor total gasto pelos deputados estaduais com verba de ressarcimento chegou a R$ 6.073.608,66.

Segundo informações, o número é 12,1% maior do que o verificado no mesmo período de 2020 (R$ 5.413.222,43). Quando a comparação é feita somente com o mês de maio, a alta nos gastos chega a 33,3%, passando de R$ 1.026.310,88 em 2020 para R$ 1.368.478,02 neste ano.

Dos 54 parlamentares da Assembleia Legislativa do Paraná, 39 deles, ou 72% do total de deputados, apresentaram alta nos gastos com verba de ressarcimento no comparativo entre 2020 (pré-pandemia e início da pandemia) e 2021 (pandemia).

Guerra

Entre os parlamentares que menos gastaram no período, destaca-se o deputado Luiz Fernando Guerra (PSL), que lidera o ranking dos econômicos com o valor ressarcido de R$ 7.325,76.

Na sequência da lista estão os deputados Rodrigo Estacho (PV): R$ 22.134,37; Evandro Araújo (PSC): R$ 47.556,42; Mabel Canto (PSC): R$ 52.592,53 e Homero Marchese (PROS): R$ 65.502,07.

De acordo com Guerra, a pandemia foi um fator decisivo para menos gastos. Ele destacou que as viagens para as bases foram reduzidas nesse período. “Gasto somente o que é necessário. A política deve ser feita de bons exemplos – como conseguir fazer mais com menos, como é na iniciativa privada, gastar somente o que é necessário, ainda mais nesse momento”, revelou o deputado à imprensa.

Anos anteriores

O deputado Guerra também foi o parlamentar que fez menor uso das verbas no ano passado. Ele utilizou R$ 37.435,15, uma média de R$ 3.119,60 por mês. Em 2019, utilizou R$ 72.651,85. O gasto do deputado em dois anos de mandato correspondeu a 13,1% das verbas disponíveis, revelando uma economia de 86,9%.

Maiores gastos

Quem lidera o ranking de maiores gastos com verba de ressarcimento em 2021 é o deputado Galo (Podemos), com valor total no período de R$ 163.627,12. Seguido por Plauto Miró (DEM), R$ 160.707,14; Paulo Litro (PSDB), R$ 155.471,93; Cobra Repórter (PSD), R$ 154.528,28; e Soldado Fruet (PROS), R$ 150.248,30. Do topo da lista, Galo afirmou à imprensa que a verba está disponível para ser usada durante o mandato.

Análise

Além do salário de quase R$ 26 mil e do valor de R$ 105 mil para contratação da equipe de gabinete, cada deputado tem direito a verba de ressarcimento para gastos com transporte, alimentação, telefone, combustível, correspondência, aluguel de imóveis, divulgação da atividade parlamentar em veículos de imprensa, serviços técnicos (como advocacia, contabilidade e locação de equipamentos de informática); além de outros.

O dinheiro não utilizado em um mês pode ser acumulado para o outro. O valor da verba de ressarcimento mensal no Paraná teve variação ano após ano: entre 2019 e 2021 de R$ 31.470,00 para R$ 33.047,86. Só entre janeiro e maio deste ano cada deputado teve à sua disposição cerca de R$ 165.239,30 somente para verba de ressarcimento.