O Legislativo de Pato Branco aprovou em segunda votação, na sessão dessa segunda-feira (7), o Projeto de Lei Ordinária nº 82 de 2021, de autoria do vereador Romulo Faggion (PSL), que inclui professores e funcionários dos estabelecimentos públicos e privados da educação básica e do ensino superior na segunda fase do grupo prioritário do plano da vacinação contra o covid-19, em Pato Branco.

Porém, os vereadores precisaram votar também nessa sessão – e aprovaram por unanimidade – a Emenda nº 12 de 2021, referente a Emenda Modificativa n° 1 do Projeto de Lei Ordinária nº 82 de 2021, para incluir os profissionais das escolas de idiomas na matéria.

O texto da Emenda n° 1 modifica a redação do artigo 1º do referido PL, que passa a vigorar com o seguinte teor: “Art. 1º Esta Lei inclui os professores e funcionários dos estabelecimentos públicos e privados da educação básica e do ensino superior e profissionais de línguas na 2º fase do grupo prioritário do Plano de Operacionalização da vacinação contra a covid-19 do Município de Pato Branco”.

A Emenda Modificativa n° 1 é de autoria dos vereadores Claudemir Zanco (PL), Dirceu Luiz Boaretto (Podemos), Lindomar Rodrigo Brandão (DEM), Marcos Junior Marini (Podemos), Maria Cristina de Oliveira Rodrigues Hamera (PV) e Romulo Faggion (PSL).

Aval do Estado

No entanto, para que a Secretaria Municipal de Saúde de Pato Branco possa cumprir essa lei assim que ela entrar em vigor, segundo anunciado na sessão dessa segunda-feira (7), é preciso receber a indicação do governo do Estado.

Por isso, os vereadores Claudemir Zanco (PL), Dirceu Luiz Boaretto (Podemos), Eduardo Albani Dala Costa (MDB), Joecir Bernardi (PSD), Lindomar Rodrigo Brandão (DEM), Marcos Junior Marini (Podemos), Maria Cristina de Oliveira Rodrigues Hamera (PV), Romulo Faggion (PSL) e Thania Maria Caminski Gehlen (DEM), protocolaram o Requerimento nº 602 de 2021, que requer ao Secretário Estadual de Saúde do Paraná, Beto Preto, para que professores e funcionários dos estabelecimentos públicos e privados da educação básica e do ensino superior e profissionais de línguas sejam incluídos na segunda fase do grupo prioritário do plano estadual de vacinação contra o covid – 19.

Hospital de campanha

Na sessão dessa segunda-feira (7), o vereador Claudemir Zanco (PL) também protocolou a Indicação nº 251 de 2021, que indica ao Executivo Municipal para que o município levante um hospital de campanha para suprir a demanda de internações por coronavírus, como está sendo feito em Dois Vizinhos.

Segundo o vereador, o local funcionará exclusivamente para atendimento covid-19, com leitos todos equipados para atender pacientes intermediários com o vírus.

“Os hospitais de campanha são centros de assistência médica construídos durante emergências de saúde pública, como a atual pandemia. Apresentam caráter temporário e geralmente são erguidos em locais não convencionais. Seu principal alvo são pacientes que não necessitam de atendimento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas que tem um quadro de saúde que impossibilita sua recuperação em domicílio, neste caso os pacientes no quadro intermediário. Com o surgimento de uma doença que ocasiona uma explosão de casos tão intensa, os sistemas de saúde podem entrar em crise rapidamente. Dessa forma, os hospitais de campanha são uma alternativa para a ampliação do número de leitos e, assim, do cuidado em saúde”, justificou.

Informativo diário de vacinação

Também foi protocolado junto à Casa de Leis a Indicação nº 252 de 2021, de autoria do vereador Marcos Junior Marini (Podemos), que indica ao Executivo Municipal que seja criado um informativo diário (boletim) sobre a vacinação no município, incluindo os indicadores listados nesta indicação.

A indicação, segundo Marini, busca possibilitar o acompanhamento da vacinação em Pato Branco, a partir de um boletim diário contendo indicadores agrupados em duas sessões.

“Primeira sessão contendo dados gerais, com número de doses recebidas, relativas a 1ª e a 2ª doses; o número de doses aplicadas (1ª e 2ª doses); e percentual da população vacinada (1ª e 2ª doses). Segunda sessão com demonstrativo dos grupos vacinados, incluindo número de doses aplicadas (1ª e 2ª doses) por grupos prioritários, contendo faixa etária, atividade profissional e comorbidade”, destacou.

A justificativa do vereador para a indicação são os inúmeros pedidos da população, pois “percebe-se uma certa dificuldade no acompanhamento do plano de imunização no município. Nesse sentido, a criação desse instrumento informativo possibilitará maior transparência para população”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *