Dia do Professor é marcado pelos desafios de ensinar durante pandemia

Hoje (15), professores de todo o país celebram, de uma maneira nunca antes prevista, o ato de lecionar. Neste ano, a data vem acompanhada de muita saudade e dificuldades

Nesta quinta-feira (15), é celebrado o Dia do Professor. Apesar de ser uma data comemorativa, para muitos da classe, é um dia triste, pois, comemora-se longe das salas de aulas e atrás de uma tela de computador.

Acostumados a lecionar em frente a uma turma com até 40 alunos, professores precisaram se adequar ao atual período de pandemia, e com isso, se viram obrigados a dar aulas online, forma antes jamais cogitada na educação básica — composta pela educação infantil e pelo ensino fundamental e médio.

Neste ano, o Dia do Professor vai muito além de uma data comemorativa. Hoje, a lembrança ocorre em clima e sentimentos nunca antes imagináveis. Nesta quinta, professores celebram também as vitórias alcançadas perante os desafios de ensinar nesse momento de coronavírus.

Reinvenção na pandemia

Para a professora de matemática das redes municipal e estadual de ensino de Bom Sucesso do Sul, Silvana Solle, hoje é um dia triste, marcado pela ausência de seus alunos e pelas dificuldades de ensinar de maneira online. Após 25 anos utilizando um quadro de sala de aula, Silvana conta que só conseguiu dar aulas a distância após algumas atividades de especialização.

Para ela, se reinventar não foi uma opção, mas sim a necessidade de levar o ensino até a casa dos estudantes, com o maior aproveitamento possível. “Nós que somos professores gostamos de alunos e isso está fazendo falta. Sem o contato com eles, é outra realidade. É bem diferente e bem complicado porque sabemos que os alunos não estão aprendendo o que precisariam”, disse ao explicar como se sente como professora neste período de pandemia.

Dados regionais

Atualmente, 4.146 professores atuam na rede estadual de ensino dos 42 municípios do Sudoeste. Juntos, esses profissionais atendem 58 mil alunos, pertencentes aos três Núcleos Regionais de Educação da região.

De acordo com dados da Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná (Seed), do total de profissionais na rede, 1.336 são contratados temporariamente, ou seja, não são concursados.

Do total de professores da rede estadual, 1.789 são pertencentes ao Núcleo Regional de Educação de Francisco Beltrão. A regional, abrange 20 municípios do Sudoeste e atende 26.142 alunos em 1.307 turmas.

Já no Núcleo de Pato Branco, 1.744 professores ministram aulas para 26.315 jovens dos 15 municípios da microrregião, espalhados em 1.364 turmas.

Outros 613 professores lecionam para 8.543 estudantes de 469 turmas da regional de Dois Vizinhos, composta por sete municípios da região.

Transição de ensino

Para Everson Lopes, presidente da APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná – Núcleo Sindical Pato Branco, a transição do ensino presencial para o remoto, em um curto espaço de tempo, sem preparação adequada e sem o fornecimento de uma estrutura necessária para desempenhar a função, prejudicou muitos professores.

“Mesmo sem a estrutura necessária temos feito um trabalho absolutamente excepcional, atendendo os alunos que acessam as ferramentas online e produzindo e avaliando materiais impressos para os que não tem acesso à rede”, disse comentando que neste período houve uma diminuição nos afastamentos médicos dos professores.

Conforme a Seed, do total de professores no Núcleo Regional de Pato Branco, menos de 1% estão afastados de suas atividades.