Encontro debate retomada e regionalização do turismo

Na tarde desta terça-feira (14) um grupo de prefeitos e representantes de prefeituras da região sudoeste participou de um encontro com técnicas da Paraná Turismo que tratou sobre a retomada e a regionalização das atividades turísticas em âmbito regional. O encontro foi realizado na sede da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (AMSOP), em Francisco Beltrão, e contou com a presença do presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl.

As profissionais técnicas da entidade responsável por fomentar políticas públicas do setor no estado apresentaram um panorama sobre os trabalhos da Paraná Turismo nos últimos meses, além de ações para a retomada do segmento, que foi bastante afetado pelas consequências da pandemia de covid-19.

Por conta das restrições de circulação, várias empresas do mercado de turismo tiveram seus trabalhos suspensos por meses. De acordo com Isabella Tioqueta, diretora técnica da Paraná Turismo, um dos principais direcionamentos para a retomada e o desenvolvimento do turismo no estado é a regionalização. “O programa de regionalização do turismo é o que formata o nosso trabalho do turismo regional. Este trabalho conta com uma interlocução junto com o Ministério do Turismo e com a agência de desenvolvimento da região Sudoeste, que é o suporte regional. Então nós vamos explicar como funciona esse trabalho, qual o papel dessa agência, que se chama IGR, que é uma instância de governança regional”, detalha a diretora, sobre a apresentação.

Ela explica que na prática o programa visa aproximar municípios com características em comum e viabilizar projetos de fomento a criação ou promoção de roteiros e atrativos de forma mais integrada. “É viabilizar esse desenvolvimento econômico do setor de uma forma organizada e participativa. E isso se intensificou no período da pandemia, quando a gente viu a oportunidade de aproximar o paranaense do seu estado, principalmente no turismo próximo a sua residência”, detalha.

A proposta é estimular a visitação a destinos dentro de um raio de 200 Km, para onde seja possível viajar de carro ou ônibus, por exemplo.

O presidente da Paraná Turismo analisa que, de modo geral, os parananenses não tem por hábito conhecer os potenciais turísticos do estado. “As pessoas não conhecem o quintal de sua casa. Costuma-se dizer que em Paranaguá não se conhece a Ilha do Mel, que o iguaçuano nunca foi nas cataratas, e isso é uma verdade. E com certeza no sudoeste é da mesma forma. Então a regionalização é o começo de tudo”, completa o presidente.

As ações locais são articuladas por meio da agência de desenvolvimento local (IGR) e de um conselho formado por sete prefeitos da região. “A intenção do dia de hoje também é formalizar essa comissão de turismo da Amsop, qual é o papel dessa comissão, a importância da participação desses prefeitos e da participação deles dentro do segmento do turismo”, complementa Isabella.

O representante do grupo no encontro, Givanildo Trumi, prefeito de Boa Esperança do Iguaçu, analisou que no sudoeste existem três vetores de desenvolvimento econômico: a indústria, a universidade e o turismo. Segundo ele, na maioria dos municípios menores o turismo é a principal ou mesmo única alternativa entre os três, fazendo do projeto uma oportunidade para a região.

O presidente da Amsop, Nilson Feversani, prefeito de Bom Sucesso do Sul, acredita que o Sudoeste possui grande potencial para o desenvolvimento do turismo rural, gastronômico e de veraneio. “Temos municípios com muito potencial, como Mariópolis, Sulina, Verê, que vem colaborar muito com essa regionalização. Temos Salgado Filho, com a festa do vinho e do queijo, então isso vem a agregar muito”, detalhou.