Região

Média móvel de casos da covid-19 no Sudoeste volta a crescer

A média móvel do Sudoeste, nesta última semana de outubro, voltou a crescer em comparação com a semana anterior. Conforme um levantamento feito pelo Diário do Sudoeste, a média móvel da região, ou seja, a média de casos em um intervalo de sete dias, é de 43,57 — representando 305 novos casos em uma semana.

O índice dos últimos sete dias se aproxima do registrado no começo do mês de outubro, em que foram contabilizados 302 casos, chegando a uma média móvel de 43,14.

Durante este mês, ainda de acordo com o levantamento feito junto aos boletins epidemiológicos emitidos pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), o período em que mais houve confirmações de casos foi entre 7 e 13 de outubro, onde 477 pessoas foram positivadas para a covid-19 em uma semana.

Microrregião

Desde o registro do primeiro caso confirmado de coronavírus no Sudoeste, em 21 de março, até 19 de julho, ou seja, durante quatro meses, a maior incidência de contaminados com a doença, ocorria na microrregião de Pato Branco — área de cobertura da 7ª Regional de Saúde, que é composta por 15 municípios do Sudoeste.

Porém, a partir do dia 20 daquele mês, a micro de Francisco Beltrão, que abrange 27 municípios da região e é pertencente a 8ª Regional de Saúde, passou a registrar os maiores índices da covid-19, até o último boletim emitido na terça-feira (27), em que eram apontados 5.590 casos para a micro da 8ª Regional e 2.507 para a área da 7ª.

Além de ser a que mais contabiliza casos, a micro de Francisco Beltrão é também a responsável pela maioria dos óbitos ocorridos no Sudoeste, em decorrência da doença. Ao todo, são registradas 107 mortes na regional frente 53 na área de Pato Branco.

Do total de casos confirmados na região, cerca de 86% já estão recuperados.

Casos suspeitos

O Diário apurou também que, de 20 de outubro até ontem, o número de casos suspeitos, ou seja, que aguardavam o resultado do exame de testagem para covid-19, não baixou de 880 casos por dia. A maior parte dos suspeitos registrados pela Sesa são residentes da microrregião de Francisco Beltrão.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima