Nove dos 15 municípios da micro de Pato Branco já vacinam jovens com 18 anos

Mais de 40% da população da micro de Pato Branco já tomou as segundas doses Crédito: Jonathan Campos/AEN

Pato Branco aplica doses em pessoas com 22 anos a partir desta terça (14); apesar de ser a maior faixa etária recebendo vacinas na microrregião, município não está atrasado na vacinação

Até a manhã de ontem (13), 44,3% de toda população, acima de 18 anos, da microrregião de Pato Branco, que deve se vacinar contra a covid-19, já tinha tomado as duas doses dos imunizantes ou a dose única.

Das 216.709 pessoas que devem se vacinar nos 15 municípios, pertencentes a 7ª Regional de Saúde, 178. 055 – 37,83% – já tomaram ao menos a primeira dose do imunizante. Na região, quase 20% da população ainda não se vacinou.

Os dados foram obtidos pela reportagem do Diário do Sudoeste junto as Secretarias Municipais de Saúde da micro.

De acordo com o levantamento de informações, nove dos 15 municípios estão aplicando doses das vacinas em pessoas na faixa dos 18 anos. Apesar de se destacarem na rapidez em suas campanhas de vacinação, essas localidades não estão a frente de outros municípios, como Pato Branco, por exemplo, que inicia nesta terça (14) a aplicação de doses em jovens com 22 anos de idade.

Segundo Anderson Nezello, chefe da 7ª Regional de Saúde, estar aplicando doses em pessoas a partir dos 18 anos de idade não significa que toda população de um município já foi vacinada.

Conforme ele, a maioria dos municípios da micro avançaram na vacinação ao longo da campanha sem, de fato, terem aplicado doses em todo o público-alvo das faixas etárias anteriores. E agora, estão fazendo buscas ativas, no sentido de conseguir identificar as pessoas que ficaram para trás e vacinar para ter a totalidade.

Mas afinal, por que alguns municípios já estão na faixa dos 18 anos?

Questões territoriais e o método escolhido para vacinar as pessoas contribuíram para a diferença nas faixas etárias, que estão sendo vacinadas, em alguns municípios.

Como exemplo, o chefe da Regional de Saúde fala sobre Coronel Domingos Soares. No município, de acordo com Nezello, a unidade de saúde está situada a 120 km do Centro, o que dificulta o acesso à população que precisa ser vacinada. “Nesse caso, não tem como ser muito ágil. Por conta disso, para não deixar a vacina na geladeira esperando, pega e vai vacinando os outros grupos.”

“A outra situação que notamos é que em muitos municípios [as secretarias] só fizeram drive thru. Então, quem tinha dificuldade ou não tinha carro, não conseguia se vacinar”, finalizou.

E Pato Branco, está ou não atrasado na vacinação?

O Município de Pato Branco não está atrasado em sua campanha de vacinação contra a covid-19. Como explica o chefe da regional, diferente de outros municípios da região, Pato Branco sempre vacinou de 100% a 110% em cada faixa etária.

“Existe uma informação para o Ministério da Saúde que é diferente da prática” — ou seja, os dados no município são maiores do que o Ministério tem registrado em seu sistema, alimentado com informações do último censo, realizado em 2010. “Ele acabava usando mais doses para aquela faixa etária e tendo dificuldade de avançar.”

Segundo Nezello, ter vacinado cada faixa etária quase que em sua totalidade, contribuiu para que Pato Branco ainda não esteja aplicando doses em pessoas com 18 anos de idade. “O que vai acontecer é que quando chegar na faixa dos 18, o município não vai precisar ficar fazendo a busca ativa que os outros municípios estão fazendo agora”, explicou.

Aplicação das terceiras doses

População da micro só receberá terceiras doses de vacinas quando todos os municípios já terem vacinado 100% de seu público-alvo.

“Já há uma organização para que tão logo a gente atinja o 100% da população, ou próximo disso, acima dos 18 anos, consigamos fazer efetivamente a dose de reforço para os idosos e dai dar o início para os adolescentes de 12 a 17 anos. Isso depende, única e exclusivamente, de termos as vacinas. Precisa o Ministério ter em mãos isso para corroborarmos o início desta campanha”, disse Nezello.