Prefeitura de Mangueirinha trabalha na compra de um hospital

Aquisição, orçada em cerca de R$ 6 milhões, deve ocorrer até o fim deste ano; com a compra município pretende se tornar pólo de saúde da microrregião

Até o fim do ano, a Prefeitura de Mangueirinha deve comprar o prédio do hospital que atende população do município e da reserva indígena e se tornar um pólo microrregional de saúde.  

O objetivo da aquisição do hospital, de acordo com o secretário municipal de Saúde, Ivoliciano Leonarchik, é evitar o deslocamento dos pacientes, de Mangueirinha e de municípios próximos, a Pato Branco.

Com a estrutura do hospital no nome do Município, será possível atender também moradores de Foz do Jordão, Reserva do Iguaçu, Honório Serpa e Coronel Domingos Soares – ambos municípios que mandam seus pacientes, normalmente, para Pato Branco. Como explica o secretário, a intenção é aumentar as cirurgias de baixo e médio porte e o número de leitos. Atualmente o hospital atende, em média, mil pessoas ao mês. 

Mesmo com o prédio em seu nome, a prefeitura manterá a Associação de Saúde de Mangueirinha como administradora e mantenedora do local. O que mudará com a aquisição é que mais verbas poderão chegar até o hospital e com isso mais reformas e procedimentos serão implantados.

“Hoje nós somos referência na questão materna infantil, fazemos parte da rede de urgência e emergência, possuímos corpo clínico para cirurgias eletivas, fazemos procedimentos ortopédicos de médio e complexo porte e já temos um pedido de habilitação de leitos para tratamento de pacientes viciados em álcool e droga. Com a compra do hospital, todos esses serviços serão ampliados, a nível regional”, completa Leonarchik. 

Ainda segundo o secretário de Saúde, o hospital já conta com um número significativo de profissionais para tornar Mangueirinha pólo microrregional de Saúde. “Hoje a estrutura do corpo clínico já permite essa ampliação, pois, nós preparamos primeiro a questão de pessoal para depois pensar na questão de estrutura.”

Investimentos

De acordo com uma previsão da Administração do Município, a compra do hospital deve chegar na casa dos R$ 6 milhões. O valor ainda não é exato porque a negociação está em fase de avaliação de bens. 

Mesmo com um valor tão alto de investimento, o prefeito de Mangueirinha, Elídio Moraes, já se comprometeu que não deixará financiamento para as gestões futuras. A intenção é pagar todo o hospital até o fim de seu mandato, em 2024. 

Para que a negociação ocorra como o previsto, o Município vem realizando leilões para levantar a quantia necessária. Até o momento a administração municipal já fez um leilão com maquinários e veículos inservíveis e já está programando um segundo. 

Entre os itens que devem ser vendidos estão áreas no meio urbano e no rural e o antigo aeroporto. Segundo o secretário de Saúde, serão vendidos locais sem utilidade para o Município. 

Capacidade de atendimento 

No momento o hospital possui 60 leitos de enfermaria. Destes, 51 são pertencentes ao Sistema Único de Saúde (SUS) e nove ao atendimento particular. Do total de leitos, não há nenhum de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), apenas dois semi-intensivos. 

Mesmo após a  compra do local, o município não prevê a inclusão de leitos UTI, isso porque a intenção é se tornar referência na questão de média especialidade.