Região

Produtores de Capanema recebem espaço para extração de mel

Iniciativa tem o objetivo de tornar a apicultura formal no município, além de incentivar a qualificação na atividade

Apicultores de Capanema vão contar, nos próximos meses, com estrutura própria para extração do mel. A intenção é que o local, denominado como Casa do Mel, alavanque a produção do alimento no município e torne a sua comercialização formal.

O incentivo à apicultura surgiu a partir dos índices municipais, que apontam para um alto número de pessoas trabalhando com a cultura em Capanema e na região.

De acordo com a secretária municipal de Agricultura, Raquel Belchior Szimans, cerca de 95% da população do município trabalha com a agricultura familiar. Deste total, um grupo de 100 famílias pratica a apicultura, ou seja, tem sua renda complementada com a extração e venda informal de mel.

Produção e qualificação

Somente em 2019 foram produzidos e vendidos no município em torno de 35 mil quilos do alimento. Neste ano, a expectativa, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), é para uma produção de, aproximadamente, 45 mil quilos. “Isso vai aumentar cada vez mais, porque no início o pessoal tirava até 20 kg por colmeia; e hoje tem produtor que tira 70 kg”, conta Raquel.

A extração do produto no município vem aumentando gradativamente desde 2017, quando os agricultores começaram se qualificar na área, por meio de parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura e com o Sebrae.

Conforme Raquel, as qualificações têm o objetivo de tornar formal a comercialização do produto em Capanema, assim como também têm a intenção de reconhecer o alimento produzido pelos próprios capanemenses, por meio de identificação, que exige alguns critérios técnicos.

“Eles extraem em casa e vendem de maneira informal. Tendo uma produção maior, só é possível colocar seu produto no mercado se tiver um reconhecimento formal, que exige estrutura adequada para a extração. Diante dos números razoáveis que nós temos aqui, resolvemos fazer a Casa do Mel”.

Casa do Mel

Como forma de incentivo à apicultura local, o Município de Capanema doou aos agricultores, no início deste ano, uma estrutura, conhecida como Casa do Mel, para que sejam feitas as extrações do produto, conforme as normas estabelecidas pelos órgãos de fiscalização.

O local, situado na comunidade Santa Ana, é uma antiga escola desativada, que está sendo reestruturada pelos próprios agricultores. A previsão é para que no próximo mês fique pronta a obra e, em seguida, comece a ser utilizada pelos apicultores.

Segundo Raquel, com o aumento da produção, com a qualificação da mão de obra e com a estruturação adequada para a extração, os apicultores poderão ser reconhecidos pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF). “Com isso, poderemos vender o produto para outros estados”, contou, explicando que a intenção é que o mel de Capanema tenha uma identificação geográfica (IG), assim como o melado.

Como participar da Casa do Mel

Para participar da futura da Casa do Mel é preciso ser um apicultor qualificado, ou seja, que o agricultor trabalhe com a extração do alimento, cumprindo todas as exigências estabelecidas pelos órgãos de fiscalização sanitária.

Em Capanema, dos 100 agricultores que trabalham com a extração do mel, 30 são considerados apicultores profissionais, os quais se qualificaram. Desses, metade participa da Associação de Apicultores de Capanema e irá utilizar inicialmente a estrutura. “Essa associação vai ser aberta para qualquer apicultor. Porém, para participar os agricultores deverão seguir algumas regras, porque a ideia é ter um padrão na qualidade do produto”.

Agricultores que têm interesse em se qualificar e se formalizar devem entrar em contato com a Secretaria Municipal de Agricultura de Capanema.

Investimentos

Recentemente, o Município recebeu verba federal no valor de R$ 100 mil. Com este recurso serão comprados equipamentos para a Casa do Mel e 200 colmeias.

Além disso, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e o Viveiro Municipal de Capanema forneceram cerca de 20 mil mudas de árvores apícolas, para a produção de néctar e pólen para as abelhas.

Clique para comentar
Para cima