Região

Professora de Coronel Vivida realiza campanha para bancar tratamentos

É possível realizar doações através do site Vakinha e transferência bancária Créditos: Divulgação

Júlia Heimerdinger*

Em maio de 2019, a professora da rede municipal de Coronel Vivida, Dariane Baratto Stedile sofreu um acidente automobilístico, quando se deslocava a Pato Branco.

Devido ao acidente, Dariane teve fraturas na coluna e na boca, o que acarretou na redução de mobilidade e perda da força nos braços devido a lesão na coluna. Ela também sente dores constantes na lombar que afetam a força das pernas, e ainda complicações odontológicas.

A recuperação está sendo gradativa e requer tempo e tratamentos adequados, por essa razão estão sendo realizadas campanhas para levantar recursos para custear os tratamentos indicados.

“Foram lentos os avanços no tratamento, quase 100% particular até aqui. Tratamentos de fisioterapia, acupuntura, osteopatia e quiropraxia, massagem miofacial e outros para restabelecer outras partes do corpo que estavam com parestesia ou limitações devido a coluna”, relata a professora.

Dariane já conseguiu realizar a primeira cirurgia, da coluna através de doações das campanhas anteriores, de instituições, familiares e amigos.

O que ainda precisa?

No entanto, ainda resta pagar o restante dos custos da primeira cirurgia, os exames pós-operatórios, e os tratamentos de reabilitação com fisioterapeuta e fonoaudiólogo.

Da operação da lombar ainda necessita do dinheiro para realizar a cirurgia, mais tratamentos para suportar a dor. Outra necessidade é o custeio de tratamentos odontológicos, para restaurar o que foi quebrado e refortalecer a arcada. “Aceito doação de tratamento ortodôntico que no acidente ocasionou alguns traumas e necessita de pequena cirurgia e tratamentos”, diz ela.

Além disso, ainda possuí as despesas mensais, o que agravou mais nas questões financeiras devido à espera no reagendamento do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). “O valor estimado para a cirurgia da lombar, pré e pós-operatório passa de R$ 43 mil. Estou aguardando se reagendada a perícia desde início de fevereiro (atrasou devido o decreto da pandemia que cancelou os agendamentos)”, conta Dariane acrescentando que está sem renda mensal desde o início do ano.

Como ajudar?

É possível realizar a doação através do site da Vakinha:http://vaka.me/914005 (Cirurgia da Dariane). Também é possível através de depósito ou transferência bancária: Banco do Brasil, agência 2008-7, conta 17.777-6, titular Dariane Katia Baratto Stedile, CPF 99515164915.

“Meus amigos criaram o Solidariane para auxiliar na divulgação e algumas dúvidas. Teve pessoas que já me procuraram para ver em qual estágio do tratamento estava ou para sugerir ideias” afirma Dariane falando também que estão disponíveis para tirar dúvidas através da página @Solidariane, disponível no Facebook e Instagram.

Mudanças no cotidiano

Dariane que sempre foi uma professora muito presente em diversas atividades, além da sala de aula, viu sua vida mudar drasticamente. “Eu participava de campanhas beneficentes em comunidades e escolas, e nunca imaginei o quanto são necessárias e bem-vindas essas ações”.

Ela conta que trabalhava em hortas escolares, que tem vários alunos do ensino médio que são seus afiliados de formatura. “Praticava yôga e os médicos falaram que a prática de esportes auxiliou a não ficar tetraplégica” destaca a professora.

Participava do Círculo Italiano Italbravi de Coronel Vivida, promovendo eventos culturais para manter a cultura italiana no município. Também era organizadora e promotora de eventos como o Miss Itália Coronel Vivida e o Miss Itália Sudoeste. “Estava sempre na ativa, sinto muita falta de tudo isso, é bem difícil ficar sem poder fazer as coisas que eu gostava”, revela.

Dariane destaca que vários alunos estão fazendo oração e ajudando a divulgar a campanha. “Enviam áudios e textos pedindo seguidamente como estou, pequenos gestos que marcam nossa história e que faz valer a pena a nobre profissão de ser professora” reflete.

“Eu sabia que tinha bons amigos, aprendi nesse período que sou rica de bons amigos, cada um dos meus amigos formando um elo da corrente do bem” finaliza agradecendo profundamente a todos que já realizaram doações.

* Sob orientação de Marcilei Rossi

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima