Seis municípios da microrregião possuem aterros municipais próprios

Dos 15 municípios da microrregião de Pato Branco, apenas seis possuem aterros municipais adequados

Júlia Heimerdinger

A associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre) divulgou na segunda-feira (14) o mapa atualizado em relação ao destino dos resíduos sólidos em todos os 5.570 municípios do Brasil. A pesquisa apontou que 2,7 mil cidades descartam de maneira incorreta os resíduos. Mas, ainda que seja um número elevado, diminuiu em relação ao mapeamento anterior.

Verificado em setembro, o resultado apresenta um progresso em referência ao primeiro trimestre do ano, no momento em que 3.257 municípios realizavam a destinação indevida do lixo, através de lixões na sua própria área, lixões em municípios vizinhos, denominados aterros controlados, que são o oposto dos aterros sanitários, que contém os devidos cuidados com a impermeabilização do solo.

O levantamento contou com dados fornecidos do Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos (Sinir) e foi divulgado na internet, através de uma plataforma interativa, que qualquer pessoa pode acessar por meio do site da associação.

A pesquisa contabiliza que 2.707 municípios realizam o descarte final adequado aos resíduos sólidos, em aterros sanitários privados, municipais ou intermunicipais, ou aterros em vala. Segundo o presidente da Abetre, Luiz Gonzaga, Santa Catarina é o estado melhor posicionado quanto ao descarte final dos resíduos sólidos.

Dados da microrregião

A microrregião de Pato Branco contempla 15 municípios, entre eles apenas seis possuem aterros municipais próprios, que é considerado a melhor maneira de descartar os resíduos sólidos. Os aterros sanitários proporcionam melhores vantagens para o meio ambiente, pois são construídos em áreas adequadas, utilizando manta de impermeabilização e equipamentos de coleta de chorume e gases.

Pato Branco é um dos municípios que possui aterro sanitário no próprio município. Saudade do Iguaçu, Coronel Vivida, Chopinzinho e Palmas também são municípios que possuem aterro sanitário municipal próprio. O município São João possui um aterro controlado municipal.

Os demais municípios da microrregião: Sulina, Itapejara d’Oeste, Bom Sucesso do Sul, Vitorino, Mariópolis, Mangueirinha, Honório Serpa, Clevelândia e Coronel Domingos Soares não possuem aterro municipal próprio para cada município. Eles realizam a incineração nos próprios municípios, através de empresas terceirizadas.