Saúde

Dê atenção ao seu coração

Em 29 de setembro é o Dia Mundial do Coração. Fique atento aos bons cuidados desse órgão fundamental para nos mantermos vivos

Na próxima terça-feira (29) celebra-se o Dia Mundial do Coração, data escolhida pela Federação Mundial de Cardiologia (WHF) para disseminar conhecimento sobre os cuidados que deve-se tomar para proteger um dos principais órgão do nosso corpo.

Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças coronarianas são responsáveis por mais de 17 milhões de mortes todos os anos no mundo. Isso significa que mais de 30% dos óbitos ocorrem com problemas cardíacos. Só no Brasil, são mais de 1.100 mortes todos os dias, conforme registra o cardiômetro da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Somente este ano, o cardiômetro já registrou quase 295 mil mortes.

Por isso, a SBC produziu a “Cartilha do Coração”, que orienta sobre os fatores de risco das doenças cardiovasculares como colesterol, diabetes, estresse, hipertensão, obesidade e tabagismo, sempre trazendo informações de tratamento e prevenção.

Quando cuidamos bem do nosso coração, aumentam muito as chances de termos uma vida saudável. Por outro lado, quando nos alimentamos mal e temos uma vida sedentária, entre outros hábitos inadequados, estamos contribuindo para o surgimento de diversas doenças cardíacas.

Além das causadas pelos maus hábitos de vida, há também doenças cardíacas congênitas, aquelas que trazemos desde o nascimento e que são igualmente graves.

Como funciona o coração?

Para entender os diferentes tipos de doença, é importante conhecer, ao menos que superficialmente, a estrutura e funcionamento do coração. Esse é um órgão muscular, mais ou menos do tamanho de um punho, que bombeia o sangue através do sistema cardiovascular, formado por uma rede de artérias e veias.

De um lado, fica o átrio direito, que recebe o sangue das veias e o bombeia para o ventrículo direito. O sangue é, então, enviado para os pulmões, onde é oxigenado. Ao sair dos pulmões, o sangue vai para o átrio esquerdo e depois para o ventrículo esquerdo, que o bombeia para o resto do corpo.

Ainda, o coração funciona com o auxílio das artérias coronárias, que correm ao longo de sua superfície, fornecendo sangue rico em oxigênio. Há também o pericárdio, uma bolsa que tem como função principal manter o coração em sua posição e impedir que ele se encha de sangue além de sua capacidade.

As doenças do coração geralmente são causadas por algum mau funcionamento dessas estruturas ou por problemas no sistema vascular. Entre elas, citamos as mais comuns:

  • Doença arterial coronariana

Também chamada de aterosclerose coronariana, é a formação e acúmulo de placas de tecido fibroso e colesterol na parede dos vasos, o que impede a passagem do sangue. Popularmente chamada de “veia entupida”, se ocorre em uma artéria que alimenta o coração, o tecido cardíaco pode “morrer”, provocando o infarto.

  • Insuficiência cardíaca

Por diversas causas, a região interna do órgão pode ficar maior e mais grossa, ocupando o espaço que deveria servir de passagem do sangue. Com isso, o coração não consegue bombear a quantidade necessária de sangue para o organismo, e os órgãos e tecidos acabam sem oxigênio e nutrientes suficientes.

  • Arritmia cardíaca

Trata-se de uma alteração no ritmo do coração causada principalmente por distúrbios elétricos, mas que pode ser consequência de um infarto, hipertensão arterial, entre outras razões. Esse distúrbio pode causar o aumento da frequência cardíaca (taquicardia), a sua redução (braquicardia) e batimentos irregulares ou a mais (extrassístole).

  • Doenças valvárias

As válvulas são responsáveis por controlar o fluxo de sangue nas câmaras do coração (ventrículos e átrios). Quando seu funcionamento é comprometido por infecções ou reumatismos, o coração não consegue bombear o sangue de forma adequada para o resto do corpo.

  • Pericardite aguda

É a inflamação repentina do pericárdio, geralmente causada por vírus ou alguma lesão. Quando isso ocorre, o pericárdio tende a reagir aumentando a quantidade do líquido que faz parte da sua composição, causando pressão no coração e não permitindo que ele encha corretamente as suas câmaras. Com isso, menos sangue, nutrientes e oxigênio são enviados para o restante do organismo.

  • Doenças vasculares

Inclui qualquer condição que afeta os vasos sanguíneos e linfáticos. Existem várias doenças que podem afetar o funcionamento desse sistema e ter consequências para o coração, desde varizes até aneurismas.

Prevenção

Fumo, sedentarismo, obesidade, consumo elevado de sal, abuso de bebidas alcoólicas e alimentação recheada de gorduras: não são poucos os hábitos que podem elevar as suas chances de desenvolver doenças cardiovasculares – e outros tantos problemas de saúde. O estresse, outra constante na correria da rotina, também entra na lista. Ou seja, simples mudanças de hábito podem ajudar o seu coração a bater saudável por muito mais tempo.

Para prevenir as doenças do coração não congênitas, e melhorar as condições das congênitas, é preciso ter um estilo de vida saudável. Entre os principais comportamentos estão:

Alimentação: evite o excesso de sal e alimentos ricos em gorduras, como carne vermelha e queijos amarelos; prefira frutas, cereais, peixes e azeite de oliva. Invista também em vegetais verde-escuros, linhaça, suco de uva e outros alimentos ricos em flavonoides, componente relacionado à desobstrução dos vasos sanguíneos.

Combata o estresse: já existem comprovações científicas que preocupações diárias com problemas pessoais, excesso de trabalho e frustrações, entre outros sintomas de estresse, desencadeiam reações que interferem no bom funcionamento do coração.

Pratique atividades físicas: quando fazemos exercícios regularmente, o coração trabalha com mais eficiência e menor esforço. O sangue flui melhor e as artérias e vasos ficam mais flexíveis e saudáveis. Além disso, ao se exercitar, aumentam as chances de você ficar em forma, o que também previne o risco de doenças cardiovasculares. O ideal é investir em, no mínimo, 150 minutos por semana, com foco em atividades aeróbicas.

Não fume: o tabagismo aumenta a frequência cardíaca, contrai as artérias e pode causar graves irregularidades nos batimentos cardíacos, aumentando a carga de trabalho do coração.

Vá ao médico regularmente: quanto antes você descobrir problemas no coração, maiores são as chances de cura. Hoje há inúmeros exames capazes de diagnosticar e até mesmo antecipar futuras doenças cardíacas. O especialista em doenças do coração é o cardiologista. As visitas ao médico periodicamente, para realizar exames preventivos e de avaliação ou para controlar os fatores de risco para as doenças cardiovasculares, assim como tratar as doenças já existentes, são fundamentais. Se a pessoa tem 35 anos ou mais, não deve iniciar um programa de treinamento físico sem antes ser avaliada por um médico e por um educador físico.

Atenção ao histórico familiar: Fatores genéticos estão envolvidos na equação e exigem cuidados. É o caso de problemas como hipertensão arterial, infarto do miocárdio, hipercolesterolemia, doenças do músculo cardíaco e algumas arritmias. Pessoas que tenham pais ou irmãos com hipertensão arterial sistêmica, por exemplo, têm maior chance de desenvolverem o problema no futuro. Alguns quadros de colesterol elevado também podem ter relação com o histórico familiar. Nesse caso, o tratamento costuma ser mais difícil.

*Fontes: Sociedade Brasileira de Cardiologia, Blog da Saúde

10 mandamentos para um coração saudável

1 – Diga não à obesidade e controle o seu peso
2 – Consulte o seu médico periodicamente
3 – Meça a sua pressão arterial com frequência
4 – Diga não ao fumo
5 – Verifique a quantidade de sal nos rótulos dos alimentos
6 – Diga não ao sedentarismo. Pratique esportes
7 – Escolha bem os alimentos
8 – Saiba se é diabético e se tem colesterol alto
9 – Evite o estresse
10 – Ame a vida e o seu coração

11 sinais de alerta

1- Fadiga ou esgotamento
2- Falta de apetite e náuseas
3- Perda de consciência ou desmaios
4- Dor no maxilar ou no pescoço
5- Inchaço nos pés e pernas
6- Urinar mais que o normal a noite
7- Tosse noturna
8- Sangramento, ferida ou inchaço na gengiva
9- Suor frio ou sudorese intensa
10- Frio contante nas mãos ou nos pés
11- Ganho de peso injustificado

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima