Saúde

O que é hérnia lombar?

Você já deve ter sentido dor na região lombar (parte inferior das costas), mas talvez não saiba porque está doendo.

A lombalgia afeta 80% da população em algum momento da vida, por isso é considerada uma doença crônica nos dias atuais.

Os órgãos públicos de saúde estão preocupados porque esse tipo de dor tende a aparecer mais em indivíduos sedentários, ou seja, que não praticam nenhuma atividade física. Contudo, as pesquisas atuais indicam que tanto o sedentário quanto quem trabalha com cargos pesados podem correr o risco de sofrer de lombalgia.

Além desses fatores, há inúmeros outros que podem desencadear a lombalgia, e um dos maiores diagnósticos para dor na região da coluna inferior se chama hérnia lombar.

Sabemos que nossa coluna vertebral é composta de curvaturas para suportar as diversas cargas e movimentos do dia-a-dia. Ao ter alguma alteração nessas estruturas, seja musculares, ligamentares ou neuronais, o corpo sempre irá encontrar uma forma de se adaptar para tentar corrigir essa disfunção. Assim, na maior parte das vezes, ao corpo tentar melhorar a situação que se instalou, ele faz com que outras estruturas corporais se alterem para compensar o problema inicial. É nesse momento que ocorrem as alterações fisiológicas. Se até o momento o corpo desempenhava ótima função, a partir dessas alterações terá dificuldades. E são nessas situações em que surgem as temíveis hérnias.

Apesar de estarmos focando na hérnia lombar, mas temos que ressaltar que hérnias não só ocorrem na parte inferior da coluna, mas sim em qualquer região vertebral.

O que realmente é uma hérnia lombar?

Durante o movimento, a vértebra superior se desloca para trás, o espaço intervertebral na parte de trás diminui e o núcleo se projeta para frente, tensionando as fibras anteriores do anel fibroso. Ou seja, é um movimento normal que o corpo faz toda vez que você se movimenta, como a flexão, flexão lateral, a extensão e a rotação axial e suas variações.

Existem estudos que mostram que, ao passar dos 25 anos de idade, as fibras do anel fibroso começam a degenerar, podendo ocasionar rachaduras, e desta forma pode acontecer que o núcleo atravesse as fibras do anel, onde faz com que haja dificuldade em amortecer as pressões entre uma vértebra e outra.

Os fatores de risco para as hérnias são má postura; vida sedentária; excesso de peso, tabagismo; envelhecimento e predisposição genética.

Na parte de tratamento, são poucos casos que precisam de cirurgia, salvo diagnósticos graves, mas com o auxílio da fisioterapia o paciente volta a ter uma vida ativa, podendo executar suas funções sem ter que barrar seus afazeres diários.

O trabalho do equilíbrio muscular, força e flexibilidade devem andar juntas para prevenir essa afecção. No entanto, o fisioterapeuta não deve esquecer de que cada individuo é diferente do outro, e por isso deverá passar por avaliações (anamnese), testes motores de força, flexibilidade, dentre outros.

Vale lembrar que existem diversos meios para se exercitar, praticar uma atividade física, dentre elas o Método Pilates, um dos mais aconselhados e indicados pelos médicos para quem sofre com hérnia lombar por não ter impacto e trabalhar todo o corpo com exercícios variados e versáteis, que só irão agregar saúde para o corpo dos indivíduos praticantes.

Consulte sempre um fisioterapeuta.

Hellen Lunardi é fisioterapeuta e instrutora de Pilates. CREFITO-8 241669-F

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima