Polícia Civil faz paralisação para reivindicar reposição salarial

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) aderiu a paralisação convocada pelos sindicados de classes, que iniciou nesta quarta-feira e terá continuidade amanhã. Os policiais civis reivindicam junto ao governo do Estado a reposição salarial inflacionária dos últimos seis anos, cerca de 38%. A categoria luta há anos pela reposição salarial e já havia realizado um protesto no mês de março deste ano, quando também pediu urgência na vacinação contra a covid-19.

Na área de abrangência da 5ª Subdivisão Policial (5ª SDP), além de Pato Branco, aderiram à paralisação policiais civis das Delegacias de Coronel Vivida, São João e Palmas. Outras categorias também enfrentam o mesmo problema, como a Polícia Militar, professores e profissionais do setor de saúde.

O investigador Clademir Mazzochin, presidente da Associação dos Funcionários da 5ª SDP de Pato Branco, disse que estão há muito tempo com os salários praticamente congelados, desde o governo anterior, mas as negociações com o governo do Estado não prosperaram. “Não estamos pedindo aumento, apenas a reposição salarial. Passamos um período difícil durante a pandemia e não paramos em momento algum e o que nós solicitamos neste momento é que sejamos respeitados. O governo do Estado já vinha prometendo há algum tempo entrar neste assunto, mas não recebeu nenhuma liderança sindical para conversar e estamos fazendo a paralisação no sentido de chamar a atenção da comunidade da atual situação que se encontra os nossos policiais com relação a questão salarial. É importante dizer que não somos só nós policiais civis, mas também outros servidores tem o mesmo problema, como pessoal das áreas de Educação m Saúde e os policiais militares. Então é importante que o governo do Estado abra um canal de negociação e que se resolva de uma vez por todas esse assunto”, completou.