Segurança

Polícia prende homem que estuprou três irmãs no período de 2014 e 2015

Foto: Divulgação Sesp

Policiais civis da Delegacia da Mulher de Pato Branco, com a ajuda da Polícia Civil de Santa Catarina, prenderam nesta terça-feira (30), um homem que estuprou três irmãs, duas com 10 anos e uma com 8 anos, entre os anos de 2014 e 2015. Os crimes de estupro teriam ocorrido no bairro Planalto em Pato Branco.

De acordo com Franciela Alberton, delegada titular da Delegacia da Mulher, os crimes foram descobertos e interrompidos, após uma das vítimas ter assistido palestra sobre abuso sexual na escola. Ela relatou que o acusado passava a mão em seus órgãos genitais e a ameaçava de morte, caso contasse para alguém.

Ainda segundo a delegada, tendo conhecimento dos fatos, a Polícia Civil, instaurou inquérito policial para apuração. As três vítimas foram ouvidas e confirmaram os abusos, que ocorriam quando a mãe as levava para passear na casa do autor. Nestas ocasiões, enquanto a mãe das menores permanecia conversando com a esposa do autor, este levava as crianças para um quarto, sob alegação de que brincariam no computador. Ali, enquanto assistia filmes pornográficos, colocava as meninas no colo e acariciava o órgão genital delas.

Durante as investigações, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do acusado e por busca e apreensão em sua residência, contudo, somente foi autorizado o procedimento de busca e apreensão.

Na ocasião os policiais apreenderam o computador do acusado e a perícia confirmou que através dele eram realizadas buscas na internet relacionadas a pornografia infanto-juvenil, assim como o armazenamento de imagens com tal conteúdo. Também foram encontradas diversas fotos do investigado, em cena de nudez, expondo seu órgão genital ereto.

O inquérito policial foi encaminhado para a Delegacia da Mulher, em 2018, quando foi reaberto e ao ser concluído encaminhado ao Ministério Público do Paraná (MPPR), em um período de dois meses.

O homem foi condenado pela Justiça a pena de 32 anos de reclusão, sua sentença foi proferida no início de fevereiro deste ano, contudo, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), reformou a pena, para 28 anos.

Na tentativa de cumprir o mandado de prisão, o autor dos delitos, não foi localizado até esta terça-feira. Ele estava em Florianópolis (SC), onde foi preso no início da tarde.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima