Augusto Renato Penteado Cardoso

A celebrada data relembra a criação das duas primeiras faculdades de direito brasileiro, Faculdade do Largo do são Francisco e Faculdade de Direito de Olinda, em 1827.

Temos muito para comemorar, porque a profissão, indispensável para a administração da justiça, a única com previsão constitucional, se revela cada vez mais necessária para resguardar os diretos individuais e coletivos, garantir a ordem pública, a democracia e a paz social.

Histórica e culturalmente é o dia do advogado, havendo outra data formalmente instituída para comemorar o dia da mulher advogada, 15 de dezembro, criado para homenagear a primeira advogada brasileira, Myrthes Gomes, porém, o 11 de agosto, hoje, pode ser celebrado como o DIA DA ADVOCACIA, pois a profissão primordialmente desenvolvida por homens, com mais de um milhão de inscritos no país, vê hoje, em seus quadros, a maioria feminina ocupando e dignificando a profissão, não se podendo mais falar em dia com conotação de gênero.

A atuação feminina na advocacia levou o Conselho Federal a eleger o ano de 2015 como o “ano da mulher advogada”, com merecido destaque; as inúmeras ações em alinhamento ao plano nacional de valorização da mulher advogada, e os movimentos para instituição das comissões da mulher advogada, em todo o sistema OAB, a coloca no centro das decisões, como líder e agente de transformação social.

Recentemente ocorreu na capital do estado, a II Conferência Estadual das Mulheres advogadas do Paraná, culminando com a elaboração da “Carta de Curitiba”, que assentou brilhantemente: “…Considerando a função institucional da OAB na busca de uma sociedade justa e igualitária para mulheres e homens, em seus recortes de raça e classe social, e cientes de que a justiça e igualdade só serão alcançadas quando todas as formas de preconceito e discriminação forem eliminadas tendo como pano de fundo o debate sobre o feminismo, a fim de desmitificar e atualizar as suas interpretações e interseccionalidades com a advocacia em especial a feminina…”

Neste dia então, reverenciamos a advocacia, que mais que um trabalho, é uma missão para todos aqueles que a escolhem. A advocacia paranaense é referência no Brasil e nossa cidade conta com grandes nomes, como os pato-branquenses Cassio Telles, que hoje preside a Seccional do Paraná, os saudosos Vitor Guerra, Lamartine Augusto, Jacinto Simões, e tantos outros valorosos profissionais que seguiram nesta esteira e seguem honrando com dignidade e ética o seu mister.

Hoje, a advocacia paranaense conta com uma mulher concorrendo ao cargo máximo de direção da instituição; que este protagonismo feminino possa ser visto em toda sua extensão, nos conselhos, nas subseções e comissões, para que estejamos, de fato, lado a lado, comemorando a advocacia sem barreiras, sem discriminação, onde a paridade, a igualdade e a diversidade sejam realidade.

É tempo de celebração, de união de esforços, de reduzir barreiras, de pensar coletivo, de pensar social, de formar novos líderes, valorizando as experiências, elevando as novas formas de pensar e agir da jovem advocacia, e trabalhar, firmemente, em prol da advocacia e de toda a sociedade, para podermos, cada vez mais, celebrar com orgulho a ADVOCACIA, no dia 11 de agosto, no dia 15 de dezembro e em todos os outros dias que um profissional é chamado para defender um direito.

Viva a advocacia, viva as advogadas e viva os advogados.

Advogado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.