Marilena Chaui – uma filósofa brasileira

Padre Judinei Vanzeto

Marilena de Souza Chaui (1941) nasceu no município de Pindorama, no estado de São Paulo. Filha do jornalista Nicolau Chaui e da professora Laura de Souza Chaui. Ela é professora emérita de Filosofia Política e Estética da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Marilena Chaui concluiu mestrado em filosofia em 1967 com o tema: Merleau-Ponty e a crítica do humanismo. Doutorou-se em 1971 com a tese Introdução à leitura de Espinosa. Também se tornou livre docente (título concedido no Brasil por uma instituição de ensino superior, mediante concurso público aos portadores de título de doutor, o que atesta a qualidade superior na docência e na pesquisa) de Filosofia em 1977 com A nervura do real: Espinosa e a questão da liberdade, pela Universidade de São Paulo (USP).

Chaui possui uma vasta produção acadêmica, inclusive livros didáticos de Filosofia voltados para jovens. A sua obra O que é Ideologia, foi selecionada pelo Ministério da Educação e Cultura como livro didático obrigatório na rede pública de ensino. Vendeu mais de cem mil exemplares.

Nesse livro, Marilena Chaui explora o conceito de ideologia a partir das ideias marxistas. Explora o conceito dentro da questão da sociedade e de suas classes e como a ideologia é usada para o controle. Ela trabalha com a teoria das quatro causas do pensamento grego: causa superior, causa final, causa inferior e a causa eficiente.

Para ela, a causa final é o dominante, enquanto que a causa eficiente são os trabalhadores dominados. Não obstante, segundo Chaui, a “ideologia continua sendo aquela atividade filosófico-científica que estuda a formação das ideias a partir da observação das relações entre o corpo humano e o meio ambiente, tomando como ponto de partida as sensações; por outro lado, ideologia passa a significar também o conjunto de ideias de uma época, tanto como ‘opinião geral’ quanto no sentido de elaboração teórica dos pensadores dessa época”.

A obra é recomendada para vestibulandos e alunos de cursos superiores, sobretudo da área de humanas, bem como educadores em geral. A partir de sua leitura e análise, abre-se a possibilidade para a visão de uma compreensão de determinado grupo social e acontecimentos da sociedade.

Chaui também foi Secretária Municipal de Cultura do município de São Paulo, de 1989 a 1992. Considera que esta experiência lhe possibilitou um trabalho mais sincronizado com a realidade e os problemas sociais brasileiros.

Em 2013, Chaui provocou controvérsias em uma palestra em São Paulo ao afirmar que a chamada “nova classe média” brasileira é fascista: “(…) a classe média é uma abominação política, porque é fascista, é uma abominação ética porque é violenta e é uma abominação cognitiva porque é ignorante”.

Marilena Chaui escreveu diversas obras e também hoje, aos 79 anos, já recebeu, como reconhecimento pelo seu trabalho, vários títulos e prêmios.

A partir dessa provocação, se poderia ainda perguntar: o que é ideologia? Para que servem as ideologias? Todos seguem uma ideologia ou estão envolvidos numa sem se perceber? Os partidos políticos trazem em seus bojos suas ideologias. O mal da política brasileira constitui-se na proliferação de partidos políticos. São tantos que lá pelas tantas perderam sua própria identidade.

Jornalista, diretor administrativo da Rádio Vicente Pallotti, gestor da Unilasalle/Fapas Polo Coronel Vivida e pároco da Paróquia São Roque de Coronel Vivida-PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.