Sudoeste Tecnológico

A tecnologia no combate à Covid-19

Porta automática instalada na UPA

A pandemia de Covid-19 trouxe mudanças significativas para todos os setores da sociedade. Em março, quando a começaram a ser identificados os primeiros casos da doença no Sudoeste, praticamente toda a vida cotidiana foi afetada. Repentinamente, o comércio fechou as portas, permanecendo abertos apenas os estabelecimentos considerados essenciais.

Sair de casa era recomendado apenas em caso de necessidade. Supermercados passaram a funcionar em horário reduzido, com lotação máxima. Os casos começaram gradativamente a aumentar, assim como os indesejáveis óbitos.

A região, assim como o mundo precisou se adaptar a uma nova realidade, e várias pessoas passaram a desenvolver novas soluções para os novos desafios, cenários e dificuldades foram sendo enfrentadas.

O setor de tecnologia também esteve mobilizado no combate as consequências da Covid-19. Desde empresas até universidades, várias foram as iniciativas para auxiliar profissionais de saúde, monitorar casos, agilizar a realização de exames e outras necessidades.

Porta automatizada é instalada na UPA de Pato Branco

Uma porta automatizada foi instalada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pato Branco. Com a abertura, as pessoas não precisam colocar as mãos na maçaneta e com isso, o risco de contaminação do coronavírus diminui.

Toda a projeção da porta foi feita por uma empresa do município que trabalha com a fabricação de portas automáticas para vans. A ideia do novo produto surgiu quando os sistemas de transporte precisaram diminuir suas atividades ou pará-las, por conta da pandemia.

De acordo com o então secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Géri Dutra, o Município firmou parceria com a empresa na implementação da porta na UPA para que, além aumentar os cuidados contra o Covid-19, pudesse colocar em prática o projeto inovador, mesmo ainda sendo um protótipo.

A ideia do Município é possibilitar que a empresa possa demonstrar o potencial da porta, e futuramente passar a implantar o novo sistema em outras UPAs, unidades de saúde e em outros locais que também apresentam grande fluxo de pessoas, como por exemplo, restaurantes.

O protótipo foi instalado em uma das áreas de maior fluxo da UPA de Pato Branco. É ela que permite o acesso dos pacientes após a triagem na recepção.

A invenção de Ildenir Miguel de Oliveira permite que, ao ser chamado para o atendimento médico, o paciente não toque em qualquer objeto, pois a porta é destravada por um controle remoto, e somente abre quando o paciente estiver a cerca de 70 centímetros, por meio de um sensor.

Já para a saída do local, ela não precisa ser destravada, ao se aproximar da porta, automaticamente ela se abre.

A porta

A ferramenta permite a proteção não só contra o Covid-19, como também contra outras doenças transmitidas por infecção cruzada, ou seja, que são passadas de uma pessoa para outra.

Além disso, com a porta, o sistema de higienização do local torna-se mais ágil, tendo em vista que não será necessário a limpeza contínua das maçanetas [que deixam de existir efetivamente] e nem das mãos. “É um obstáculo a menos que a pessoa encostará a mão. É muito importante para facilitar a movimentação dos profissionais [de saúde] sem ter que ficar mantendo contato com objetos”, disse Dutra.

A porta conta com um sistema de emergência em que, ao faltar luz, basta puxar uma cordinha que ela volta em sua funcionalidade normal.

Legenda: Abertura automática evita o contato com a superfície

Grupo de voluntários confecciona máscaras de proteção facial

Professores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Câmpus Pato Branco, em parceria com o Município, com empresas de impressão 3D e com algumas pessoas que têm a impressora em casa, confeccionaram máscaras faciais para auxiliar na proteção dos profissionais de saúde de Pato Branco.

A confecção das máscaras faciais é feita na casa dos voluntários

De acordo com um dos professores do curso de Informática da UTFPR e colaborador da ação, Vinicius Pegorini, o projeto tem como base um modelo disponibilizado na internet por uma empresa da República Tcheca. “É um modelo que foi aprovado pelos profissionais da saúde e está sendo usado no mundo todo”, explicou.

Para saber se a máscara estava dentro dos padrões de proteção e qualidade, o grupo de voluntários solicitou à Secretaria Municipal de Saúde uma avaliação do produto fabricado. Após alguns testes a Secretaria verificou que as máscaras podem ser utilizadas pelos profissionais na linha de frente.

As máscaras produzidas foram entregues diretamente na Secretaria Municipal de Saúde, que realizou a distribuição entre a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e os hospitais do Município.

Plataforma ajuda no combate ao novo coronavírus

Buscando auxiliar nas medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19), uma empresa de Pato Branco, que trabalha com o desenvolvimento de softwares, criou a plataforma Contra Covid.

O Contra Covid reuniu, no mesmo espaço digital, pessoas que precisam de ajuda e voluntários

De acordo com o CEO da empresa, Thiago Guilherme Santin, o objetivo da plataforma é poder ter em um mesmo espaço digital, pessoas que precisam de ajuda, tanto para a compra de um remédio na farmácia quanto para uma consulta online, e pessoas que podem ser voluntárias.

Plataforma

As pessoas que tiveram algum tipo de sintoma podiam se cadastr na aba “consulta médica”. Já quem estivesse na zona de risco e não podia sair de casa para não contaminar outras pessoas, na aba “preciso de ajuda”. Pessoas que poderiam ser voluntárias, deveriam selecionar a opção “sou voluntário”, e médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e psicólogos, poderiam se cadastrar na aba “sou profissional da saúde”.

Ao acessar o site, os usuários faziam o cadastro em uma das opções desejadas. Com isso, automaticamente, seus dados eram enviados para uma plataforma na Secretaria Municipal de Saúde.

Atendimento

A ideia inicial do projeto era que a Secretaria Municipal de Saúde disponibilize um médico do Município para realizar os atendimentos online. No entanto, a intenção do Contra Covid era capturar médicos voluntários de qualquer lugar do país, tendo em vista que o atendimento será por meio da internet.

Equipamento auxiliária na realização de exames de Covid-19

Um equipamento instalado em um laboratório da UTFPR de Dois Vizinhos auxiliará na realização de exames de Covid-19 e outras doenças. O robô Promega Maxwell® automatiza o processo de extração de material genético que permite aumentar a quantidade de exames que identificam a infecção pelo novo Coronavírus. Segundo informações da universidade, o robô permite processar até 150 amostras por dia.

Equipe passou por treinamento para operar o laboratório (Crédito: Assessoria)

Adquirido em parceria com a Prefeitura Municipal de Dois Vizinhos e o Rotary Internacional, o equipamento estará disponível no Laboratório Multiusuário de Análises Biológicas e Biologia Molecular (BioMol) do Câmpus. A parceria vem sendo articulada desde o mês de abril. Empresas locais também contribuíram para a viabilização do laboratório.

Ainda segundo a universidade, a direção-geral do câmpus nomeou uma comissão para o planejamento, implantação e gerenciamento de adequações do Laboratório de Biologia Molecular para a realização de análises para detecção do Coronavírus Sars-Cov-2, resultando no projeto intitulado “Laboratório para Diagnóstico da COVID-19 por PCR em tempo real (RT- qPCR)”.

Cerca de R$ 700 mil foram investidos por meio da parceria, recursos que também foram utilizados para compra de equipamentos e insumos, como EPIs, e na reforma do laboratório para adequá-lo às normas da Vigilância Sanitária e do Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen).

Além do robô, também foram adquiridos outros equipamentos como Termociclador para PCR em tempo real; cabine de segurança biológica, equipamento de segurança para minimização de riscos durante o preparo das amostras potencialmente contaminadas; autoclave para esterilização de todo o material plástico utilizado no processo de diagnóstico; cabine de PCR, equipamento para realização de ensaios em ambientes estéreis para não haver contaminação cruzada; Centrífuga Refrigerada fundamental para preparação das as reações de RT-PCR; Ultrafreezer e insumos, reagentes e EPIs suficientes para no mínimo 900 testes iniciais.

O laboratório contará com o trabalho de 20 pessoas, entre professores e alunos tanto de graduação quanto de mestrado.

Segundo informações da universidade, também será possível realizar outros exames no laboratório, como dengue, meningites, ISTs, doenças hereditárias, identificação de vírus, bactérias, parasitas de interesse sanitário, ecológico e econômico; estudos de expressão de genes de interesse comercial ou ambiental, entre outros. “A implantação deste laboratório na UTFPR-DV resultará em um ganho imensurável para Dois Vizinhos e região, pois atenderá uma demanda atual iminente e estará preparado para outras demandas após a pandemia, uma vez que a infraestrutura instalada poderá ser aplicada em inúmeras outras análises importantes em projetos de pesquisa realizados no Câmpus, em diversas áreas, visando o desenvolvimento local e regional”, afirma Everton Lozano, diretor-geral do câmpus Dois Vizinhos.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima