Almanaque+

As perguntas e respostas do Dia Nacional do Luto

(Paulo Argollo)

A morte é o maior mistério da humanidade. Cada religião explica a morte de um jeito. Para os ateus, é o simples fim de tudo. Mas o fato é que nós, os vivos, jamais saberemos a resposta, afinal ninguém nunca voltou da morte para nos contar. Tudo o que temos são especulações. Mas há outros mistérios que nos cercam. Mistérios menores, claro, mas que não deixam de ser intrigantes. Me deparei com um desses mistérios sem querer no momento em que decidi qual seria o tema do texto que escrevo agora.

Dia 19 de junho é considerado o Dia Nacional do Luto. Quando vi isso em alguns calendários e sites de datas comemorativas, fiquei curioso e pensei: Tá aí, vou escrever sobre o dia do luto. Deve ter alguma história interessante por trás desse dia.

Lá fui eu pesquisar. E, por incrível que pareça, não encontrei em nenhum lugar da internet a explicação do porquê 19 de junho ser o Dia Nacional do Luto. E não só isso: encontrei pelo menos outras duas datas marcadas como dia do luto, sendo 21 de junho e 7 de agosto. Ambas também sem explicação. Mas a maior parte dos sites que encontrei mencionam o dia 19 de junho como Dia do Luto, então, mantive meu foco nele.

Fui pesquisar acontecimentos históricos e quem morreu nesse dia, que talvez justificasse a escolha dessa data. Nada de muito relevante. No dia 19 de junho aconteceu a primeira corrida da Nascar, nos Estados Unidos em 1949, a independência do Kuwait em 1961…

Entre os falecidos neste dia, o que mais chama a atenção é o Rubens Ewald Filho, jornalista e crítico de cinema morto em 2019. E chama a atenção porque, coincidentemente, ele morreu no dia 19 de junho, que também é considerado o Dia do Cinema Brasileiro. Essa, sim, uma data comemorativa justificada, já que em 19 de junho de 1898 foram feitas as primeiras filmagens em solo brasileiro.

Depois de algumas horas navegando na rede mundial de computadores, a internet, sem encontrar a resposta que buscava, me dei por vencido. Conformado, vi certa justiça poética nisso. Se a morte é um mistério indissolúvel, nada mais justo do que permanecer sendo um mistério a razão da existência do Dia Nacional do Luto. Aceitemos o fato que, assim como a morte, o Dia do Luto está aí nos calendários e é importante que ele seja lembrado. Ainda mais nos dias de hoje.

Estamos há mais de um ano lidando com o luto, com a perda da vida de pessoas queridas. Estamos nos aproximando do amargo número de 500 mil mortes em decorrência da covid-19. Hoje, é raro encontrar uma pessoa no Brasil que não tenha perdido pelo menos duas pessoas do seu círculo social, familiar e de amigos. Todos nós estamos sendo obrigados a lidar com essas perdas. O luto se faz presente, é necessário e deve ser compreendido.

A palavra luto tem origem no latim, luctus. Significa lástima, dor, mágoa. O luto é uma tristeza profunda, acompanhada do inconformismo da ausência da pessoa amada, o peso do mistério da morte. Por que a pessoa amada se foi para sempre?

Por quê?

Essa pergunta deve ser feita.

E devem ser levados em consideração todos os acontecimentos internos e externos que envolvem as quase 500 mil mortes no país. Deve ser pensado desde os hábitos de cada pessoa, o cuidado com a saúde, as demonstrações de amor e carinho que poderiam ter ocorrido antes da morte repentina. E também o respaldo (ou a falta dele) que a população teve de seu governo. Descaso com as mortes, a total ausência de luto de um presidente que por mais de um ano tem visto a população morrer e não visitou um hospital sequer, não se solidarizou com as famílias enlutadas, incentivou, e continua incentivando, aglomerações, não uso de máscaras, tratamentos ineficazes e perigosos, o atraso criminoso de compra de vacinas. E, infelizmente, a lista continua.

Faz parte do luto questionar. Eu questionei e não encontrei resposta para a razão de 19 de junho ser o Dia Nacional do Luto. Mas aceito que assim seja, guardo luto pelas quase 500 mil mortes. E como todo bom enlutado, me questiono por que essas vidas foram levadas tão drasticamente. E, para essa pergunta, a resposta está diante de nós.

HOJE EU RECOMENDO

Que você guarde luto pela morte das pessoas queridas que você já perdeu nesta pandemia. E reflita sobre as perguntas e respostas que temos diante de nós.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima