Esportes

Fred vê seleção em ‘patamar avançado’ em preparação para Copa do Mundo

A seleção brasileira disputa a Copa América, em solo nacional, mas jogadores e comissão técnica não escondem que a competição regional é apenas mais um degrau rumo à Copa do Mundo do próximo ano. Para o volante Fred, a equipe comandada pelo técnico Tite está num “patamar avançado” em sua preparação para o Mundial do Catar.

“Acho que estamos num patamar avançado. Depois da Copa de 2018, o Tite já iniciou o trabalho de reconstrução visando a próxima Copa. Ele vem fazendo um grande trabalho. Procura dar oportunidade para muitos jogadores, muitos passaram e muitos continuaram na seleção”, comentou o jogador do Manchester United. “Se a Copa fosse hoje, a seleção estaria preparada.”

Fred admite que seu maior objetivo no momento é fazer bonito na seleção para conquistar um lugar definitivo no time e disputar a Copa de 2022. Em 2018, ele tinha vaga certa quando sofreu uma lesão de última hora e ficou de fora do Mundial da Rússia.

“Eu estava muito bem para a última Copa do Mundo, tive aquela lesão, foi ruim, difícil para mim. Mas faz parte do futebol. Eu não abaixei a cabeça, continuei trabalhando, fiquei um tempo longe da seleção, pude novamente ser convocado. Eu acho que cada oportunidade que você tem, você tem que mostrar seu trabalho. É lógico que eu quero estar na outra Copa do Mundo. Mas não adianta só falar e não trabalhar. Procuro mostrar a cada dia, não só nos jogos, fazer o meu melhor, trabalho e quero estar na Copa.”

Titular nas últimas três partidas da seleção, Fred reconhece que ainda não tem posição definida na equipe. Tite vem usando o volante em diferentes posicionamentos no meio-campo, ora ajudando a zaga, ora como apoio do ataque.

“Minha função primeiramente é defender bem o meio, dar mais liberdade para os armadores. Aqui na seleção, o Neymar, por exemplo, Richarlison, Paquetá, o Everton Ribeiro. Para que eles tenham mais liberdade para jogar. Venho marcando de trás para frente, para dar a eles essa liberdade e para, com a qualidade na saída de bola, fazer com que ela chegue clara na frente e que eles possam jogar”, comentou.

Sobre o jogo desta quinta-feira, contra o Peru, o volante projetou dificuldades no Rio de Janeiro. “Sabemos que vai ser um jogo muito difícil. Todo mundo sabe que na Copa América não tem jogo fácil. O último jogo foi bem complicado, a gente sabe a dificuldade que foi dentro de campo. Contra o Peru não será diferente. É uma equipe que tenta jogar, eles são muito bons. Assisti a alguns jogos, é uma equipe que marca bem, são bem aguerridos. Mas nós temos que mostrar nosso futebol dentro de campo, procurar fazer o nosso jogo, aquilo que a gente vem trabalhando, tentar buscar o placar a todo tempo.”

Para cima