Esportes

Ramírez lamenta que desgaste físico com maratona de jogos tem atrapalhado o Inter

Em boa fase depois de goleadas pela Copa Libertadores e classificação à final do Campeonato Gaúcho, o Internacional tropeçou na terça-feira com a derrota de virada por 2 a 1 para o Deportivo Táchira, na Venezuela, pela quarta rodada da fase de grupos da competição continental. O técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez atribuiu o revés ao cansaço, que tem atrapalhado o time nas últimas semanas.

De acordo com o treinador, a equipe vem enfrentando uma maratona de jogos e teve uma longa viagem até a Venezuela, no último domingo, chegando menos de 48 horas ao local do jogo. “É um cansaço, uma sequência difícil. Não se pode treinar, tem que estar pronto e recuperar. Um campo pesado (do estádio Pueblo Nuevo, em San Cristóbal), que exige muito. A equipe sentiu”, afirmou.

O espanhol citou que o Internacional teve as ações do jogo e abriu o placar com o pênalti convertido por Thiago Galhardo. Acredita, inclusive, que o time teve chances de até fazer um placar mais dilatado pelas oportunidades criadas. “Em um campo que come a perna, é pesado. Fica mais nítido o cansaço. Estávamos dominando. Acredito que até poderíamos fazer o segundo, mas não fizemos. Em erros pontuais… Mas não só isso. Nos foram empurrando e (o campo) comendo a perna”, justificou.

Apesar do resultado negativo, o Internacional soma seis pontos e segue em primeiro lugar no Grupo B da Libertadores. Na próxima rodada, o time gaúcho enfrenta o Olimpia, do Paraguai. A partida será disputada no próximo dia 20, uma quinta-feira, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção.

Agora, o Internacional dá um tempo na Libertadores e foca na final do Campeonato Gaúcho contra o Grêmio. O jogo de ida, o Gre-Nal de número 431 da história, acontece neste domingo, às 16 horas, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Para cima