Homologa a promoção de carreira de servidores municipais

Marcilei Rossi com Assessoria

Nessa quarta-feira (4), o Executivo de Pato Branco assinou a progressão de carreira de servidores municipais referentes aos anos de 2019 e 2020. Com as progressões, o Município vai aportar R$ 3.449.170,91.

Do valor total, R$ 1.939.256,07 são referentes ao ano de 2019, beneficiando 442 servidores, e R$ 1.509.914,84 de 2020, para 368 servidores.

“Tudo o que falamos que faríamos estamos cumprindo. Isso demonstra respeito com o funcionário público e com o dinheiro do pato-branquense”, afirmou o prefeito Robson Cantu ao dizer que somente estava fazendo sua obrigação. “Uma boa administração começa com uma boa gestão dos recursos. Hoje [ontem], acertamos um problema de 2019 e 2020. Está na hora de valorizar os servidores com todo o respeito e dignidade que merece por toda a sua dedicação”, pontuou.

O prefeito também destacou que ao não realizar a progressão dos servidores, o Município acaba por ter que arcar com ações trabalhistas que oneram os cofres públicos.

A ação é prevista na Lei Municipal nº 3812/12, baseada nos relatórios da Comissão Especial de Avaliação de Desempenho e suas respectivas decisões administrativas, e destinada aos servidores concursados e efetivos, que já passaram do estágio probatório. Segue o nível de carreira, do 1 ao 54, estabelecidos pela tabela salarial. Também estabelece promoção em relação à formação.

Para que as progressões fossem realizadas, uma comissão avaliou dez critérios, que levam em conta de desempenho do servidor público a titulação.

Para que o servidor faça jus a estas promoções, são analisados vários critérios, dentre eles média na avaliação por mérito, não possuir faltas igual ou superior a dez e não ter sofrido penalidades de advertência ou suspensão.

Durante a assinatura das portarias estiveram presentes João Carlos Baier, de 52 anos, e José Domingos Schutt, de 64 anos. Ambos estão há mais de 35 anos na prefeitura de Pato Branco. 

Schutt relatou as conquistas particulares obtidas por meio do trabalho. “Eu entrei aqui em fevereiro de 1980. São 41 anos e 6 meses, praticamente. Trabalhando na Prefeitura consegui comprar uma casa, que eu não tinha, criei meus filhos trabalhando aqui dentro (…) Trabalhei 10 anos como auxiliar de serviços gerais, até me tornar motorista. Então temos uma longa história (…) E o prefeito está de parabéns, porque nem a Prefeitura e nem uma empresa particular faz algo sem mão de obra, sem funcionários”, disse.