Região

Maioria dos municípios do Sudoeste aumentam as contratações formais

Em fevereiro 7.217 pessoas assinaram a carteira de trabalho no Sudoeste Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Mesmo que seja alto o número de trabalhadores assinando sua carteira de trabalho, o índice de desempregados também cresce na região

Em fevereiro os municípios do Sudoeste registraram um aumento no número de contratações formais. No mês foram assinadas 7.922 carteiras de trabalho — 705 a mais do que em janeiro, onde foram realizadas 7.217 admissões. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados na terça-feira (30) pelo Ministério da Economia.

Apesar da crescente nas contratações, o número de pessoas demitidas também aumentou na região. No último mês, 5.684 trabalhadores perderam seus postos de trabalho — 452 pessoas a mais que em janeiro, onde foram contabilizadas 5.232 demissões.

Mesmo com a alta nos desligamentos, o saldo geral do Sudoeste continua positivo, pois, o número de admissões, no geral, é maior. Conforme dados do Caged, o saldo de fevereiro é de 2.238.

O saldo calculado a partir da diferença de contratações e demissões de cada município e por setor, está disponível nesta matéria no site do Diário do Sudoeste.

Admissões

No mês passado 67% dos municípios do Sudoeste registraram um aumento no número de contratações formais em relação a janeiro. Entre essas localidades, Francisco Beltrão, com 182 admissões e Pato Branco, com 164, se destacaram no ranking.

Outro município que também apresentou um índice maior considerável em relação ao mês anterior foi Ampére, que assinou 330 carteiras em fevereiro frente a 223.

No Sudoeste os municípios que mais registraram queda nas admissões formais foram Salto do Lontra, Bom Jesus do Sul e Nova Prata do Iguaçu.

Demissões

Das 42 localidades da região apenas 13, ou seja, 30% do total, registraram queda nas demissões de um mês para o outro. Nesses municípios, as decrescentes apresentadas foram mínimas se comparadas com os índices de demissões registrados.

Na região, Pato Branco foi o que mais demitiu — foram 1.390 desligamentos, 113 a mais que o mês anterior. O comércio foi o setor com maior número de pessoas perdendo o emprego.

Francisco Beltrão

No município, o setor que mais contratou profissionais foi o de serviços [483 contrações], seguido pelo comércio [403], indústria [255] e construção civil [103]. Já na agropecuária, as demissões foram maiores que as admissões — tendo em fevereiro sido desligadas 17 pessoas e contratadas 14.

Pato Branco

Em Pato Branco, seguindo um padrão, a indústria se destacou mais uma vez nas contratações. No segundo mês do ano 604 pessoas foram admitidas formalmente no setor, que também apresentou uma alta taxa de demissões, o que contribuiu para um saldo geral menor que o contabilizado na construção civil, com 439 admissões e 169 desligamentos.

Assim como em Beltrão, o setor de serviços também se destacou em Pato Branco ao admitir 459 trabalhadores. Já com relação ao comércio do município, houve mais demissões do que contratações, levando ao saldo negativo. Já na agropecuária, diferente do município vizinho, foram empregadas 76 pessoas em fevereiro.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima