Auto+

Bronco é bom de off-road e também de asfalto

O nome Bronco não é muito conhecido dos brasileiros, mas o Ford é um ícone nos Estados Unidos, onde foi produzido até 1996. Agora um modelo global, o carro, que segundo a marca foi o primeiro veículo de passeio chamado de SUV, chega ao Brasil em versão única, Wildtrack, por R$ 256.900.
Aliás, a estreia do Bronco é uma espécie de renascimento para a Ford. Em janeiro deste ano, a empresa anunciou o encerramento da produção de automóveis e motores no Brasil.
Assim, o Bronco é o primeiro carro inédito lançado após a mudança de status da empresa de fabricante para importadora. O novo SUV vem do México, país com o qual o Brasil tem acordo de isenção de impostos de importação. Porém, por causa do preço, não vai brigar como o renovado Jeep Compass.
A sexta geração do médio da Ford vai disputar compradores com modelos de luxo. É o caso de Audi Q3, BMW X1 e Land Rover Discovery Sport, por exemplo. Este, aliás, é apontado pela Ford como o principal rival. Segundo a empresa, assim como o SUV da marca britânica, o Bronco tem forte apelo off-road.
Nesse sentido, o mexicano vem com tração 4×4. E, além de para-choques que melhoram os ângulos de entrada (30,4°) e de saída (33,1°), traz ganchos na dianteira como itens de série.
O visual do novo SUV remete ao do modelo do passado, com linhas retas e marcantes. Na dianteira, uma espécie de faixa horizontal une grade e faróis. E, no lugar onde ficaria o símbolo da Ford, é o nome do carro que se destaca em letras grandes.
Um discreto logotipo da marca está fixado na tampa traseira. Aliás, as lanternas são de LEDs.
E, assim como nos carros da Jeep, o Bronco Sport traz vários “easter eggs”. Ou seja, detalhes discretos que remetem ao modelo antigo. Por sinal, o símbolo do SUV é um cavalo dando um coice – Bronco é um termo utilizado para designar animais ariscos e difíceis de domar.
Entretanto, no novo Ford isso é apenas jogada de marketing. Afinal, o SUV tem vários recursos eletrônicos que vão facilitar a vida dos aventureiros.
Além disso, a distância do solo é de 22,3 centímetros e o carro pode atravessar alagados com até 60 cm de profundidade, segundo a Ford. Os pneus são Pirelli Scorpion todo terreno nas medidas 225/65 R17 e as rodas de liga são escurecidas.
A lista de itens de série é ampla. Incluí até uma bandeja que divide o porta-malas de 580 litros (até o teto) em duas partes e pode servir de mesa. E uma tomada de 110 volts (padrão americano) que permite ligar, por exemplo, uma cafeteira ou uma churrasqueira elétrica.
O vigia pode ser aberto independentemente da tampa traseira. Esta sobe na vertical, formando uma espécie de cobertura e tem LEDs direcionais para iluminar piqueniques à noite.
O compartimento tem tapete emborrachado e ganchos nas laterais. Ao rebater os bancos traseiros, a área livre é de 1.472 litros. Além disso, as barras no teto permitem carregar bicicletas e até caiaques. Por fim, segundo a Ford, a capacidade de reboque é de 900 kg.
Para o motoristas, sobressaem as tecnologias de assistência e conectividade. Há duas telas. A do quadro de instrumentos tem 7 polegadas e a do multimídia Sync tem 3,8″ e é sensível ao toque. O som Bang & Olufsen tem subwoofer, dez alto-falantes e potência de mil Watts.
Há ainda carregador de celular sem fio e portas USB. Bem como frenagem automática de emergência, detector de pedestres controle de cruzeiro adaptativo, além do Ford Pass. O sistema permite localizar o carro e até dar a partida pelo celular. Já o acabamento é caprichado, embora não chegue ao nível dos modelos da Land Rover.
O fato de o motor ser a gasolina pode decepcionar muita gente. Porém, o Bronco Sport tem força de sobra. Isso porque o 2.0 turbo Ecoboost conta com injeção direta e gera 38 mkgf de torque e 240 cv de potência.
Assim, o Bronco também vai muito bem no asfalto. A Ford informa que o 0 a 100 km/h é feito em apenas 8 segundos. Colabora com isso o câmbio automático de oito marchas com opção de trocas manuais por meio de borboletas no volante e os sete modos de condução.
Além do esportivo, há as opções Eco, Normal, Areia, Escorregadio, Lama e Terra. E o extremo Rock Crawl (rocha).
30 ANOS DE SUCESSO
O Bronco estreou nos EUA em 1966 com linhas quadradas e grande capacidade para o off-road. O desenho, aliás, foi criado por Mckinley Thompson Jr, que trabalhou também nos projetos do Mustang e do mítico GT40. O primeiro esboço do modelo com carroceria curta, grande distância do solo e balanço dianteiro e traseiro mínimos foi apresentado em 1963. Ao longos dos 30 anos em que foi produzido, o SUV da Ford teve cinco gerações. Todas foram bem-sucedidas em vendas até que o modelo saiu de linha, em 1996. Em 2017, a Ford anunciou que relançaria o Bronco. Porém, o modelo passaria a ser um produto global, em linha com a nova estratégia da empresa. Antes de ser relançado, o carro chegou a ter fila de espera de 18 meses.

PRÓS E CONTRAS
PRÓS: VERSATILIDADE
SUV tem atributos para encarar o fora de estrada sem negligenciar a performance e o conforto.
CONTRAS: ACABAMENTO
Nessa faixa de preço, excesso de plásticos destoa. Embora não seja ruim, cabine não é lá um primor.

FICHA TÉCNICA
FORD BRONCO SPORT WILDTRACK
Preço sugerido: R$ 256.900
Motor: 2.0, 4 cil., 16V, turbo, gasolina
Potência (cv): 240 a 5.500 rpm
Torque (mkgf): 38 a 3.000 rpm
Câmbio: Automático, 8 m.
Comprimento: 4,38 metros
Porta-malas: 580 litros (até o teto)
Fonte: Ford

Bronco é bom de off-road e também de asfalto
Para cima