Economia

Azul anuncia projeções e estima Ebitda para 2022 de cerca de R$ 4 bilhões

A Azul anunciou nesta quinta-feira suas projeções para 2021 e 2022. A previsão da companhia aérea é de alcançar um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões em 2022. Em 2019, o indicador ficou em R$ 3,6 bilhões.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa lembra que em 2020, o Brasil teve uma das recuperações de demanda mais aceleradas do mundo. “Embora o País tenha sido impactado por uma segunda onda da pandemia, a vacinação está acelerando e acreditamos que isso terá o mesmo efeito positivo que vemos em outros países à frente em seus esforços de vacinação”, diz a empresa.

A companhia afirma ainda acreditar que com isso iniciará 2022 com sua operação totalmente recuperada. “Combinado com o crescimento da receita da Azul Cargo, nossas iniciativas de redução de custos e um ambiente competitivo racional, esperamos gerar Ebitda de aproximadamente R$ 4 bilhões em 2022 em comparação com R$ 3,6 bilhões em 2019.”

Liquidez

A empresa também anunciou projeções de liquidez, estimando encerrar 2021 com liquidez imediata, incluindo caixa e equivalentes de caixa, investimentos de curto prazo e recebíveis de pelo menos R$ 3,0 bilhões.

A Azul ressalta que foi a única companhia aérea nas Américas a aumentar seu caixa em 2020 antes de levantar capital, graças à sua eficiente gestão de custos e diferimentos de pagamento negociados com arrendadores, fornecedores e bancos.

“Também provamos nosso acesso ao mercado de capitais a taxas competitivas mesmo em tempos de volatilidade. Estamos confiantes de que, à medida que a demanda se recupere, geraremos mais caixa e usaremos nossa forte liquidez para desalavancar através de pagamentos aos nossos stakeholders e investimentos no futuro. Essas premissas devem nos permitir encerrar o ano com pelo menos R$ 3,0 bilhões de liquidez imediata, mantendo nossa liderança para aproveitar a recuperação da demanda”, diz.

Cargo

A Azul espera dobrar a receita da Azul Cargo no ano de 2021 comparado com 2019, totalizando aproximadamente R$ 1,0 bilhão em receitas. “A Azul Cargo vem crescendo rapidamente, alavancando as vantagens competitivas como a maior malha aérea do Brasil, a frota mais flexível e a melhor pontualidade”, afirma.

A empresa destaca ainda que a Azul oferece uma ampla e única gama de serviços logísticos, com prazos de entrega reduzidos a preços competitivos. Assim, esperamos dobrar nossa receita de cargas em 2021 comparado com 2019, principalmente devido ao crescimento do comércio eletrônico no Brasil”, diz.

As estimativas são preliminares e excluem eventos não recorrentes e impactos adicionais da pandemia.

Para cima