Necton eleva projeção de IPCA de 2021 de 6,5% para 6,9%

A Necton elevou de 6,5% para 6,9% a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2021. Em nota, o economista-chefe da corretora, André Perfeito, atribui a revisão a fatores climáticos, câmbio pressionado e problemas em cadeias produtivas.

O economista cita a elevação do custo de energia, devido ao ambiente hídrico desafiador, e a pressão sobre o grupo Alimentação e bebidas devido às geadas e secas no País. Perfeito menciona também entre as fontes de preocupação a perspectiva de dólar acima de R$ 5 ao longo do segundo semestre.

“Entendemos que a inflação pode ser mais persistente que inicialmente pensado se encontrar ambiente de crescimento econômico, o que pode generalizar choques pontuais derivados da pandemia. Estas altas se revelariam, entre outros, em elevação e persistência de grupos como os serviços e bens não-comercializáveis”, escreveu Perfeito.

A Necton manteve a previsão de aumento de 1,0 ponto porcentual da Selic na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de agosto e de taxa em 7,0% no fim de 2021. “Entendemos que a Selic é em parte inócua aos desafios da inflação atual uma vez que ela se concentra nos componentes da oferta majoritariamente”, afirmou o economista.